twitter
RSS

[Resenha] Bem-casados - Nora Roberts

>> segunda-feira, 17 de novembro de 2014



“Agarrou-o pelo nó perfeito da elegante gravata e o puxou para baixo enquanto lhe segurava os cabelos e o trazia para frente. Em seguida, colou a boca à dele em um beijo ardente e frustrado que fez seu coração saltar no peito enquanto sua mente sussurrava: eu sabia!”
Oi Pessoas! Mais uma vez retorno com um livro da série Quarteto de noivas, onde vocês já conheceram a Mac, fotógrafa da empresa Votos e protagonista do primeiro volume da série Álbum de Casamento, depois nos rendemos ao romance da Emma, a florista e decoradora, com o Jack no segundo volume Mar de Rosas e hoje, em Bem-casados (Editora Arqueiro, 288 páginas, 2014) nós vamos saber mais um sobre a Laurel a confeiteira da Votos e sua história de amor com Delaney (o Del). 

A Laurel é responsável pela criação dos bolos dos casamentos, que são maravilhosos diga-se de passagem. A Nora retrata a Laurel tão talentosa que é impossível não sentir vontade de ver suas obras-primas e prová-las também. Mas o começo não foi fácil para a Laurel. A escritora, mais uma vez inicia o livro com um prólogo que nos conta como a Laurel conseguiu se tornar a ótima confeiteira que é, como a vida com sua família é complicada e já nos mostra em poucas páginas o quanto é precioso ter amizades verdadeiras. Sem o auxílio dos pais, ela foi em busca do seu sonho em Nova York e depois se tornou a responsável pelos bolos e doces da Votos, pois cozinhar e confeitar é sua paixão, sua vida.

Nos livros anteriores sempre gostei das cenas em que a Laurel aparecia. Seus comentários divertidos e certeiros sempre me divertiram. Ela sempre me pareceu ser bem firme e independente, daquelas que não deixa que ninguém tome as rédeas da sua vida. E eu até estava certa, mas o que eu não sabia e descobri lendo o seu livro é que a Laurel também é uma moça insegura no que se trata do lado amoroso da sua vida, especificamente falando, quando ao assunto é o maravilhoso Delaney Brown. Laurel o ama desde garotinha e nunca teve coragem de revelar seus sentimentos, por achar que não é digna dele e pelo receio de que isso possa abalar sua amizade com ele e Parker.
"Ele deu um beijo rápido e casual em sua bochecha primeiro. Então veio o abraço, e o abraço era o que derretia o coração de Laurel. Aperto forte, bochecha contra o cabelo, olhos fechados, um pequeno balanço. Os abraços de Del significavam algo, ela pensou, e aquilo fazia dele impossível de resistir."
O Del é um advogado extremamente correto e organizado, assim como sua irmã Parker e que protege as quatro amigas como se todas fossem suas irmãs também. Ele é responsável por cuidar da parte burocrática e jurídica da empresa e se sente responsável também pelo bem–estar das sócias. Principalmente com a Laurel, inconscientemente, seu cuidado com é mais exagerado, mais até do que com a Parker e isso começa a gerar desentendimentos entre ele e Laurel. E agora que ela está acompanhando a organização do casamento da Mac, a felicidade da Emma junto ao Jack, ela sente que tem que arriscar ou permanecer com seu amor platônico para sempre.

Bom, eu gostei muito dos dois primeiros livros da série, o Carter e seu amor tímido pela Mac, com a Emma e Jack vi a construção do amor que nasce de uma amizade, eu simplesmente amei a dinâmica entre os casais e seus amigos. Encantada e conquistada são as palavras eu posso utilizar. Em Bem-casados eu senti uma queda desse encanto, não que o livro seja ruim, mas achei ele em alguns momentos tão repetitivo e cansativo. Em Mar de Rosas a Nora nos deu uma pincelada do que poderia ocorrer entre o Del e a Laurel, dando a entender que dali sairia uma linda historia de amor. E sou suspeita para falar,porque gosto muito dessa temática de quando um personagem é apaixonado pelo outro protagonista, geralmente seu amigo, desde sempre, mas nunca foi notado. Gosto de ver quando esse sentimento é percebido e tudo começa a mudar. Mas tenho que confessar que minhas expectativas não foram correspondidas. 

A relação e interação entre as amigas e os rapazes continuam dignas de se ler, muitas cenas divertidas (apostas e conversas engraçadíssimas) e bem emocionantes também, mas faltou algo na relação do casal central. O engraçado é que por um momento, no inicio da história você acha o envolvimento deles semelhante como foi com Jack e Emma (amigos que se beijam e tudo muda), mas com Del e Laurel foi tudo muito sensato, muito planejado e isso para mim tira a graça do romance, me entendem? 

O Del é tão seguro de si, tão prático que muitas vezes duvidei se ele realmente tinha se apaixonado pela Laurel, se não era um amor forçado. Sabem aquelas pessoas que amam a outra pessoa e por saberem da certeza desse amor, não sentem necessidade de expor isso a todo momento ou em palavras? Assim é Delaney e senti muito a falta de um envolvimento mais romântico, foram poucos momentos assim por parte dele. Será que estarei exagerando ao dizer que ele em certo ponto me desapontou ?! Sério, esperava mais dele ao descobrir os antigos sentimentos da Laurel por ele e após sua decisão em investir nesse romance.
"Ela não era apenas uma mulher interessante e atraente. Era Laurel. A forte, inteligente, divertida e resiliente Laurel MacBane. Tinha muitas das qualidades que ele admirava em uma mulher – e tudo em um pacote sexy.”
E ainda em contrapartida, temos a Laurel que não acredita que esse romance possa dar certo, que se recusa a enxergar as coisas com a visão de uma pessoa sensata e independente, o que me deixou nervosa. Se prendendo a motivos que não condizem ao relacionamento que eles sempre possuíram, mesmo antes de se relacionarem amorosamente. Acredito eu, que essa minha opinião também se deve por eu ter gostado tanto de Mar de Rosas e que após aquele final lindo do livro, esperasse por algo mais especial ainda para esse casal. 
Mais uma vez afirmo que não quero passar uma impressão de que tudo foi ruim no livro ( se fosse, eu diria, com certeza), pois como sempre, gostei do quanto a Nora é talentosa e delicada o retratar essa amizade tão preciosa, tão rara. O Carter continua distribuindo seu encanto e permanecendo no seu trono de melhor personagem da série. Também achei muito interessante que existiram cenas com pontos de vista da Parker e do Malcom, (me deixando mais curiosa sobre o último livro com estória desse casal).

Como saldo final, ressalto que Bem casados é um livro divertido, apaixonado, sensível, mas para mim faltou mais um pouco de fluidez e não alcançou minhas expectativas. Agora nos resta aguardar por Felizes para sempre e ver o que Parker e Malcolm nos reserva.
Tem tanta coisa para acontecer nesse livro que tenho receio da Nora simplesmente correr com tudo e nos deixar carentes por mais páginas. Desde já, sei que quando eu voltar aqui para resenhar o último livro da série será após uma provável ressaca literária, porque gosto muito mesmo desse quarteto e irei sentir muita falta dele.
“- Eu a amei durante toda a vida, e isso foi fácil. Não sei, não com certeza, há quanto tempo estou apaixonado por você, mas sei que isso não é tão fácil. Mas é certo e é real, e não quero que seja fácil. Quero você.”

Série Quarteto de Noivas
1. Álbum de casamento
2. Mar de Rosas
3. Bem-casados
4. Felizes para sempre


Bjos e até a próxima!













RSS/Feed - Receba automaticamente todos os artigos deste blog. Clique aqui para assinar nosso feed. O serviço é totalmente gratuito.

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para mim. Muito Obrigada pela visita, e te espero no próximo post!

Arquivo

Experimente!

Link-me

Creative Commons License
Menina da Bahia licenciada sob uma Licença Creative Commons

  © Menina da Bahia - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL