twitter
RSS

[Resenha] Um Beijo A Meia-Noite- Eloisa James

>> sexta-feira, 29 de dezembro de 2017


Olá Pessoas!! Tudo bem com vocês?

A resenha de hoje está sendo um desafio enorme, porque o não é o meu habitual de leitura e eu, nesses três anos de blog, não fiz uma resenha de um livro do gênero. Quem bem prestar atenção e nos acompanha há anos vai matar a charada. (Nem precisa pensar muito afinal, o título já denunciou hahahahaha), que é o livro Um beijo a meia-noite (Editora Arqueiro, 2017, 320 p) da Eloisa James, um RE!!!

Pois bem, desde Quando a Bela domou a Fera fiquei com muita vontade de resenhá-lo, mas me senti insegura justamente por ser um gênero fora da minha zona de conforto. Então, peguei o segundo livro da série Contos de fadas para ler, por estar ansiosa, já que amei o primeiro.
“- Está me transformando em um Romeu.
- Romeu não xingava tanto quanto você – disse ela, fazendo desenhos no peito dele com o dedo. – Não é coisa de príncipe.
- Desde que a conheci, nada do que faço é coisa de príncipe.”
Cinderela é o segundo conto de fadas que eu gosto. E a forma como a Eloisa James criou o ambiente para a história da Kate, me fez gostar mais que a convencional que vemos por aí. A Kate é uma mocinha forte, determinada, decidida, desde os dezesseis anos quando o pai faleceu viu sua vida dar um giro de 360 graus. O seu problema em si, começou após a morte da mãe quando seu pai casou - se novamente duas semanas depois, com Mariana.


Mariana tem uma filha, Victoria, cinco anos mais nova que Kate, que apesar de ter uma mãe deplorável, é muito doce, inocente e linda. E por ser inocente, ela acabou entrando em uma situação complicada com o, agora, noivo. Só que para que eles possam se casar, evitando destruir a reputação de Victoria é preciso que ela seja aprovada pela família materna de Lorde Dimsdale, que possui títulos nobres. Eis que às vésperas da viagem para o Castelo onde Algernon levaria a noiva para conhecer sua família, Victoria sofre um pequeno acidente e não vai ter como ir. 

"Ao fim, ela resumiu bem a situação:
– Então no momento você está se passando por Victoria, noiva de um idiota chamado Algernon. E ele a arrastou até aqui porque precisa da bênção do príncipe para o casamento, que precisa acontecer porque Victoria é apressada como a mãe."
Nossa protagonista, Kate que até este momento está entretidíssima com suas atividades de administradora da propriedade, porém o título tem muito menos glamour do que aparenta, já que ela foi obrigada a viver na ala dos empregados após a morte de seu pai e é justamente por eles que ela aceita as humilhações da madrasta, que em situações como esta se esquecia que fazia parte da "família". Seu pai fez o favor de deixar todos os seus bens para Mariana ao morrer, então tudo o que Kate tinha era um pequeno dote deixado por sua mãe para quando ela se casasse.

Mariana decide que quem vai ao Castelo é Kate e acaba contando um segredo de família que muda completamente a postura da nossa mocinha e para que ninguém note muito a diferença entre elas, Kate precisará ir disfarçada como a Victória e torcer para que ninguém perceba as diferenças entre elas, já que Kate é mais alta, mais velha, magra e nunca foi apresentada à sociedade. Enquanto Victória foi a sensação da temporada, por ser muito bonita e ter curvas nos lugares certos. 
"Agora, uma nova forma de humilhação: ser vestida como cordeiro quando se sentia um patinho feio. Ela ia superar."


Por outro lado temos o Príncipe Gabriel  Augustus-Frederick William von Aschenberg of Warl-Marburg-Baalsfeld, filho caçula de uma família nobre. Gabriel vivia no principado de seu irmão, Augustus a quem expulsou todos que não queriam ser convertidos à sua religião. Nessa expulsão Gabriel assumiu a responsabilidade de ser príncipe no castelo de Palmeroy e de quebra teve que levar toda a sua família e empregados que foram renegados pelo Reino de seu irmão, para este novo lugar. Apesar de sua fama de libertino, ninguém imagina o quanto ele está abrindo mão dos seus sonhos para que todos àqueles que dependem de sua responsabilidade, fiquem seguros.  

Ele precisava se casar com Tatiana, uma princesa russa à quem foi prometido, só assim para salvar seu recente reino da falência. Mas, não tinha certeza que ela era a pessoa certa para assumir a responsabilidade de cuidar do castelo depois que ele saísse para as expedições arqueológicas em Cartago, seu verdadeiro sonho. 
"A única coisa que podia fazer era rezar para que a noiva escolhida por Augustus - provavelmente uma pessoa muito religiosa, cheia de pelos no rosto e tão virtuosa quanto virginal - tivesse fibra suficiente para tomar conta do castelo. Só assim poderia partir para Cartago."
Então ele conhece "Victória" e a acha uma pessoa encantadora, mas claro com todo respeito. Ela estava noiva do seu sobrinho e ele estava quase noivo de Tatiana, não poderia sucumbir aos encantos de uma jovem moça, só porque estava nervoso pela situação toda. Mas é tão difícil resistir à alguém que não caiu de amores por ele logo de cara, além de ter coragem de afrontá-lo.

A história tem um enredo tão maravilhoso, que você mergulha de cabeça e quando vê já passou da metade. Os acontecimentos são hilários, muito cômicos. Alguns elementos da história se assemelham à original, só que aparecem de uma forma tão repaginada que eu acredito ter sido bem mais legal. Como no caso da madrinha de Kate, Henry, que não tem nada de fada, mas que com toda certeza ganha o nosso coração por seus sincericídios. Outros personagens secundários também se encaixam perfeitamente, deixando a história bem divertida.


Os questionamentos que pairam depois que Kate e Gabriel se cruzam é: o que é mais importante o amor ou o dinheiro? Será que o dinheiro vale mesmo a pena perante a possibilidade de ser feliz a vida inteira ao lado da pessoa que te vira do avesso?
"E nunca esqueceria o momento em que um príncipe se ajoelhara ao lado de sua cadeira. Quando estivesse velha e com cabelos brancos, contemplando uma vida que esperava ser esplendidamente satisfatória, ela ainda se lembraria daquilo."
Os acontecimentos no final são tão incríveis, a forma em si como Eloisa conclui a história é tão surpreendente e diferente do que eu estava imaginando. Já quero os próximos livros da Eloisa, na minha mesa. É tão bom, pelo menos pra mim que não sou tão assídua do gênero, quando algo te prende, ainda mais quando você já conhece a história do início ao final. É ainda mais legal quando os personagens tem um humor leve e descontraído, que nos arranca ótimas gargalhadas.

Nem preciso dizer que é um livro super recomendado, né?! Espero que vocês tenham gostado da minha primeira resenha de romance de época, estou aqui pisando em ovos, no entanto muito feliz de ter conseguido vencer esse desafio e mais feliz ainda por estar fechando o ano com chave de ouro.

Beijo enorme e até a próxima!!

*Vale ressaltar que você pode ganhar este livro, participando do nosso Top Comentarista até o próximo dia 04/01!






















PhotobucketRSS/Feed - Receba automaticamente todos os artigos deste blog. Clique aqui para assinar nosso feed. O serviço é totalmente gratuito.

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para mim. Muito Obrigada pela visita, e te espero no próximo post!

Arquivo

Experimente!

Link-me

Creative Commons License
Menina da Bahia licenciada sob uma Licença Creative Commons

  © Menina da Bahia - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL