twitter
RSS

[Resenha] O Verão Em Que Tudo Mudou- Vinícius Grossos, Gabriela Freitas e Thaís Wandrofski

>> quarta-feira, 31 de maio de 2017



Olá Pessoas!! Tudo bem com vocês? 

A resenha de hoje é do livro O Verão Em Que Tudo Mudou (Faro Editoral, 2017, 304 páginas) com os autores Vinícius Grossos, Gabriela Freitas e Thaís Wandrofski.  O livro conta três histórias de três jovens diferentes, de cidades diferentes, com realidades diferentes, mas que estão em busca de saber quem são, os seus verdadeiros sonhos e suas projeções para o futuro.

O ponto em comum que eles têm é a idade, todos tem 18 anos, terminaram o ensino médio e estão naquela fase que todo mundo já passou ou vai passar na vida sobre a indecisão do que quer fazer na faculdade, quais os planos para o futuro, etc. Eu me identifiquei nessa parte porque apesar de eu ter sido uma pessoa bem resolvida sobre as minhas escolhas quanto à faculdade aos dezoito anos , o que eu queria fazer quando a mesma terminasse. Tive essa crise existencial um ano e meio depois.



Voltando ao livro, a primeira história é ‘Dezembro- Quando infinitos se encontram.’ O protagonista é o Fred, um garoto de 18 anos que terminou o ensino médio, mas que não tem vontade de fazer faculdade porque não sabe o que gosta. Por isso ele começou a trabalhar na livraria da sua cidade, por que ele gosta desse universo literário e geek. O conto do Fred acontece no dia 24 de Dezembro, véspera de Natal, aquela correria que todo mundo sabe como fica estabelecimentos nessa data. Até que ele faz uma venda para um rapaz que entende nada de livros que pretendia presentear alguém importante.

Esse “alguém importante” vem a ser a Valentina, uma garota destemida, que ama desenhar HQs, que foi até a cidade do Fred para encontrar esse tal projeto de namorado e que dá tudo errado. A partir de então o Fred ajuda a Valentina (a contragosto porque ela bem difícil de lidar) a encontrar uma forma dela ir embora para São Paulo ainda naquela noite. Acontecem várias coisas a partir do encontro dos dois, que não faz sentido eu falar, porque as histórias são curtas e como o enredo flui muito rápido, posso acabar dando spoilers, o que eu não quero. Mas que muda a forma como o Fred enxerga o que é ter sonhos para realizar. Muda a forma como a Valentina se projeta para as outras pessoas.

"Se for pra sonhar, precisamos sonhar com o melhor, com o que realmente queremos, por mais impossível que pareça."



Vamos ao segundo conto que é sobre a Lavínia, amiga de infância da Valentina. Uma coisa importante sobre a Valentina: apesar dela não ser a protagonista da história de Dezembro, ela é a coadjuvante que liga as três histórias, mesmo que indiretamente porque são histórias independentes.

Voltando à 'Janeiro- Mantenha-se viva!' nome do conto da Lavínia que faz muito sentido  conforme vamos lendo sua história, que é bem emocionante, por sinal. A Lavínia é uma garota paulistana de dezoito anos, que passou no vestibular do curso de arquitetura da melhor universidade do país, realizando o seu até então, sonho e dos pais também, que não puderam cursar uma faculdade. O problema é que esse não é mais o sonho da Lavínia e tem várias outras coisas que ela passou a desgostar, como seu namoro de anos com o Enzo. 



A família da Lavínia passou por uma situação delicada que mudou a vida deles, então todos passaram a sobreviver ao invés de viver. E é isso que ela quer mudar na sua vida, voltar a ser uma pessoa ativa, que não tem medo, que tem mais motivos para sorrir do que para chorar e é por isso que ela decide viajar sozinha para Búzios por 31 dias para se redescobrir como pessoa e descobrir quais são SUAS vontades, SEUS sonhos, o que ELA gosta e o que não gosta. As palavras em caixa alta são apenas para dar ênfase ao fato de que a Lavínia vivia sobre as perspectivas e vontades alheias e estava querendo descobrir as próprias.
"A gente pode criar uma vida indo pela cabeça dos outros, acreditando no que eles acreditam, seguindo os motivos que eles apontam, sem sequer perceber o que estamos fazendo."
Óbvio que acontece muitas coisas legais na história da Lavínia, como o Cauê um rapaz que ela conhece na rodoviária do Rio que também está indo para Búzios, o encontro dos dois é hilário e bem afrontoso, dei muitas risadas. Esse conto me deu uma vontade surreal de ir para Búzios no Verão.



O último conto 'Fevereiro- O Pôr do Sol'  é com a história da Sol, a pessoa mais organizada e decidida que já vi na vida!! Me diverti demais lendo a história dela que tem uma irmã gêmea, a Stela. Na verdade o nome delas é Marisol e Maristela, achei bem criativo hahahahahahaha. A Sol é daquelas pessoas que como o próprio nome diz, solar. Que se destaca que brilha e esse brilho se expande para quem está ao seu redor ao mesmo tempo em que ofusca. Ela gosta de tomar as decisões, planejar todos os passos que vai dar. Tanto que seu futuro na faculdade já está totalmente planejado, ela gastou um mês das férias para fazer isso e o outro mês que sobrou ela planejou para se divertir. O problema da Sol é que ela é meio egoísta e as coisas tem sempre que ser do jeito dela, quando e onde ela quer e acredite, isso não é por mal. Ela nem tinha noção disso até sua melhor amiga, Bia, despejar seus defeitos em um momento delicado. A partir de então, a Sol decide que precisa ser uma pessoa melhor, sem ser totalmente planejada, deixar com que seja surpreendida pelo o que vier no caminho.
"Tem que ser muito forte pra conseguir detectar seus defeitos, reconhecer suas imperfeições e tentar mudar (...) O mundo não precisa de pessoas perfeitas. O mundo precisa de pessoas reais. E eu também."
Com isso acontecem momentos incríveis na vida dela, ela conhece pessoas muito importantes e legais que em qualquer outro momento teria a menor chance de acontecer. Ela fica tão mudada e disposta a novas experiências que começa a conversar com um estranho que manda mensagem errada para o celular dela. A relação com os outros integrantes da sua família e amigos, que já é boa, melhoram muito. O irmão caçula dela é uma figura e que certamente rouba a cena quando aparece. A Sol também ajuda a irmã a se livrar do boy trash que a Stela acredita ser um príncipe encantado.  O ponto alto é a festa de aniversário delas, mas não falarei sobre porque só lendo para sentir como foi fofa!!



Algumas considerações necessárias sobre O Verão Em Que Tudo Mudou: é um livro bem fofo, daqueles que a gente pode ler na praia, em um dia de piscina ou até mesmo de bobeira em casa. Eu não conhecia a escrita da Gabriela e nem da Thaís e amei. Sério, o livro foi um compilado de autores bons com linguagem descomplicada que te prende. O Vinícius eu não preciso comentar, já amo forte e vocês já viram resenhas de outros livros dele e com ele que eu fiz aqui no Menina. Sem falar na playlist que esses  três fizeram para cada história. Surreal de maravilhosas (não entrarei em tantos detalhes hoje, porque vou fazer um post especial sobre. Aguardem!!)

E para encerrar porque essa resenha já ficou longa demais, não posso deixar de elogiar os responsáveis pela capa, pela diagramação, pela edição que está linda. As artes com as quotes mais marcantes estão maravilhosas também. Sem contar que o livro foi todo impresso na cor azul ~agora entenderam a referência para essa resenha, né?~, o que achei bem diferente. Enfim, tudo muito delicado e bem unicórnio, do jeito que eu gosto. Então é isso, espero que tenham gostado da resenha. Um beijo enorme e até a próxima!!

























PhotobucketRSS/Feed - Receba automaticamente todos os artigos deste blog. Clique aqui para assinar nosso feed. O serviço é totalmente gratuito.

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para mim. Muito Obrigada pela visita, e te espero no próximo post!

Arquivo

Experimente!

Link-me

Creative Commons License
Menina da Bahia licenciada sob uma Licença Creative Commons

  © Menina da Bahia - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL