twitter
RSS

[Resenha] Meu Jeito Certo de Fazer Tudo Errado- Luiza Trigo e Klara Castanho

>> sexta-feira, 31 de março de 2017



Olá Pessoas!! Tudo bem com vocês?

A resenha de hoje é do livro Meu Jeito Certo de Fazer Tudo Errado, da Luiza Trigo com a Klara Castanho(sim a atriz mirim), lançamento da Editora Arqueiro. Antes que eu comece a falar sobre ele, preciso dizer que me surpreendi. Acredito que isso tenha acontecido porque comecei sem nenhuma expectativa e com zero pretensão de ler por agora. Como vocês bem já sabem eu não sou muito fã de clichê adolescente, justamente por ter zero paciência. Não que este livro não seja um clichê, porém é aquele clichê que dá gosto de ler, que faz a gente sentir saudade da adolescência.

A leitura flui muito rápido, sério. Eu comecei no meio de uma tarde e quando deu umas 22h já passava da página trezentos e detalhe, o livro tem trezentas e setenta e cinco páginas. Para vocês entenderem o que estou falando. Mas vamos ao que interessa, não é mesmo?! O livro conta a história da Giovanna, ou Nanna como ela gosta de ser chamada, uma garota de 15 anos que nasceu e foi criada em Campinas, interior de SP, e de repente vê toda a sua vida mudar quando seus pais anunciam a mudança da família para São Paulo, devido ao crescimento da agência de publicidade e de modelos que eles têm no interior.

Morar em São Paulo sempre foi o sonho da Nanna, mas não naquele momento, não quando ela ainda ia começar o ensino médio. Mudar de colégio no ensino médio, é realmente uma coisa muito chata. Eu poderia dizer que passei por isso? Poderia, na verdade passei, a diferença é que o colégio para o qual me mudei, todo mundo que entrava no primeiro ano era novo. Então foi uma experiência muito legal.


Como os pais dela trabalham com moda, ela tem uma afinidade muito grande com o assunto e tem vontade de ter uma marca no futuro. Na verdade ela sempre quis ser modelo fotográfica já que de passarela seria impossível por não ser alta. Porém seus pais nunca deram essa chance. A Giovanna tem todo um estilo rocker, só que em Campinas as pessoas do seu colégio a achavam estranha. Vou fazer outro adendo aqui: Giovanna minha filha, você estudava onde? Campinas tem muita gente "esquisita" como você, viu?! Talvez você que não tenha rodado pela cidade direito. Na verdade Campinas tem todo essa modernidade de uma capital, mas as pessoas com mente interioranas. Please, se algum Campinense estiver lendo essa resenha, me desculpe, mas não estou mentindo até porque morei bem pertinho e estudei em Campinas, portanto sei bem do que estou falando.

É justamente por causa disso que a Nanna sempre quis morar em SP, as pessoas lá tem estilos muito diferentes e ousados, até mais que o dela, era bem fácil ela passar despercebida e não ser julgada. Por falar em julgamento, esse livro traz muito essa mensagem para nós leitores. Nunca devemos julgar apenas pela primeira impressão que tivemos do outro. Não conhecemos suas batalhas para tal.

Já instalados na nova cidade é hora de começar colégio novo. A primeira pessoa que ela conhece é o Miguel e foi antes do primeiro dia de aula. No dia da aula inaugural ela torna a ver o Miguel, por quem teve uma quedinha desde quando se viram pela primeira vez, mas dessa ele estava acompanhado do Lucas, um ser altamente insuportável. Aliás eles fazem parte de um grupinhos muito insuportável, desses bem difícil de lidar mesmo.


A Nanna é filha única, com pais super protetores e apesar de ter conseguido algumas pequenas liberdades agora que mora na capital. Se juntar com esse grupinhos que não tem limites, faz com que ela faça algumas coisas que vão contra o que ela acredita, por carência. Ela nunca teve amigos na vida, tirando os primos de Campinas, então a ideia de ser aceita em um grupo formado pelas pessoas mais populares do colégio a deixa animada, ainda que medrosa.

A Manu é a líder do grupo, a mais rica, a mais carente de afeto também, pois seus pais vivem fora do país e ela mora em uma mansão com os empregados. Ela é uma verdadeira loba em pele de cordeiro, aquela pessoa que se junta com quem lhe for conveniente, nesse caso, a Giovanna. Ela sempre quis ser modelo, é alta, bonita, estilosa e apesar de ser tudo isso, seus pais nunca permitiram que ela fosse modelo. É a nossa Nanna, louca para agradar a nova amiga, promete que vai ajudá-la.



O livro me conquistou com dois personagens: a Giselle e o Henrique. Sério, eles são pessoas incríveis. O Henrique é o vizinho da Nanna, que tem um cachorrinho chamado Yoda, tem aquele estilo 'modo de produção' (como chamamos aqueles meninos de classe média alta atualmente) cabelo arrumadinho, mocassim. Enfim, isso foi o suficiente para a Nanna dar uma debochada, mas apesar das implicâncias o Henrique é bem maduro e dá ótimos puxões de orelha em nossa mocinha pé nas nuvens. Do outro lado está a Giselle, uma leitora voraz (esqueci de falar mas a Nanna também é das nossas viu?!) e elas se conhecem justamente por causa de um livro que a Gi está lendo e que a Nanna tinha lido durante as férias. Eu amei que as referências literárias que aparecem no livro são todas maravilhosas e muito atuais.

Parece que eu estou contando o livro todo para vocês, mas acreditem estou pincelando, afinal rola muita água embaixo dessa ponte. Muita coisa acontece, umas felizes, outras nem tanto. Eu me senti de coração aquecido lendo esse livro. Eu estou muito nostálgica esses dias sobre morar no interiorrrrr (puxando o R porque estou falando assim esses dias) e apesar da Giovanna não ter feito amigos em Campinas, eu fiz e estou com muitas saudades deles. Esse livro me fez lembrar de tanta coisa da minha adolescência, que na época eu não entendia, mas hoje eu mais que entendo e agradeço.

Muitos desses agradecimentos eu devo à minha intuição e aos meus pais por terem uma mente muito conectada com a minha. Se a Nanna tivesse isso com os pais dela, não passaria por muitas coisas pelas quais passou, porém ela não amadureceria o tanto que ela amadureceu ao longo do livro.

                                          

Antes de encerrar essa resenha, afinal já conversei demais. Preciso dizer que a equipe gráfica da editora está de parabéns. Os detalhes desse livro são sensacionais, as ilustrações a cada começo de capítulo, as folhas decoradas, enfim... Tudo pensado nos mínimos detalhes. Gente, eu estava me esquecendo de falar na playlist da Giovanna, só rock da mais pura qualidade. Para fazer qualquer pai (da minha geração) se encher de orgulho.

É isso, espero que tenham gostado. Um beijo enorme e até a próxima!!!




























PhotobucketRSS/Feed - Receba automaticamente todos os artigos deste blog. Clique aqui para assinar nosso feed. O serviço é totalmente gratuito.

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para mim. Muito Obrigada pela visita, e te espero no próximo post!

Arquivo

Experimente!

Link-me

Creative Commons License
Menina da Bahia licenciada sob uma Licença Creative Commons

  © Menina da Bahia - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL