twitter
RSS

[Resenha] O garoto dos olhos azuis - Raiza Varella

>> terça-feira, 6 de outubro de 2015



"Tudo que eu mais desejei estava bem à minha frente e eu não conseguia alcançar. Se fosse em outra época, em outra vida, talvez pudéssemos começar uma história, mas a minha vida já tinha muitos 'era uma vez' para eu conseguir chegar em um 'felizes para sempre' sem deixar meu coração em pedaços no caminho."
Ah que grata surpresa tive ao ler a história desse livro. que me emocionou, me proporcionou boas risadas e deixou meu coração mais leve ao termina-lo.
O garoto dos olhos azuis ( Editora Pandorga, 2014, 440 páginas) traz uma história que tem romance ( um romance lindo) muito bom-humor em seus diálogos, mas também emoção e superação amorosa. Nossa mocinha que se chama Bárbara ao assistir seu primeiro casamento, ainda criança, viu como o noivo olhava a noiva que chegava ao altar, percebeu que todos davam atenção a noiva e somente ela percebia aquele olhar de amor, adoração e felicidade. Nesse dia decidiu que também queria seu conto de fadas, que ao casar seu noivo olhasse assim para ela, com o amor e carinho que a mulher da sua vida merecia receber.
Isso te faz lembrar algum filme?! Se sim, você também assistiu ao filme Vestida para casar como eu, onde a protagonista também afirma que esse é o seu momento preferido num casamento. Percebi aí que Raiza poderia ter se inspirado de alguma forma nessa temática, inclusive o filme depois é citado no livro e confesso que isso me fez apenas gostar mais da história, pois acho esse filme lindo.

Bom, os anos se passam e nós já nos deparamos com a Barbara, hoje advogada e trabalhando em um prestigiado escritório de advocacia, prestes a se casar com Miguel. Até então, seu príncipe que conheceu num desses acasos da vida ao esbarrar com ele nos corredores da faculdade
O grande, porém queridos leitores, é que o noivo não parece estar tão certo assim desse “para sempre” com a Babi. E a nossa noivinha que espera aquele olhar de seu noivo, tem uma surpresa no altar ao ser abandonada. 
“Eu só conseguia pensar em como Miguel me olharia. Ele choraria? Sorriria? Não saber acabava com meus nervos. Quando finalmente as portas se abriram e as pessoas levantaram para me receber, eu olhei para ele e...
Ele não olhava para mim.”
E com o coração partido por ter sido tão traída (ao lerem irão entender a dimensão dessa traição) a Barbara com o apoio de sua família volta para o interior de Santa Catarina. E depois de um tempo ao se ver louca por morar de novo com sua mãe (que é uma figura a parte) , ela aceita morar com seus irmãos em um apartamento que dividem com mais dois amigos. Ao ler isso pensei, não vai dar certo morar com quatro homens, ainda mais com os irmãos dela (que quase me mataram de rir), mas tive que dar o braço a torcer porque isso foi a melhor decisão que a Babi poderia ter tomado. Os meninos são ótimos e nesse apê ela pode encontrar carinho, conforto, amizade e tcharam o almejado amor verdadeiro.

Antes de falar do lindo Ian, tem um detalhe que ainda não contei. Há muitos anos a Barbara passou por uma situação bem humilhante, o que hoje seria conhecido como o tão falado Bullying, e foi salva por um garoto dos olhos mais azuis que ela já tinha visto. E depois de beijá-la nunca mais saiu de seus sonhos, pois ela lá no fundo, durante toda sua vida esperava reencontrar esse garoto.
Ao conhecer o Ian, de uma forma muito divertida diga-se de passagem, e ver seus lindos olhos azuis a Barbara lembra inevitavelmente do garoto que a salvou a tanto tempo. O Ian é bem centrado, tem gênio forte, é carinhoso, companheiro na maior parte do tempo, mas parece que a Bárbara desperta o que tem de pior nele e isso foi super gostoso de se ler. Sabe aquela relação de gato e rato, onde os dois não se suportam, mas se desejam? Essas são as que mais gosto!hahaha

A questão é que a Barbara está ainda tão magoada com seu ex noivo que não enxerga o que está ali bem em sua frente e que nós como leitor, ficamos nos perguntando como ela pode não se dar conta daquilo!
Eu gostei bastante do ritmo da história, da relação fraternal que existe entre a Barbara e seus irmãos e entre o Ian e sua irmã maluquinha. Sério, várias vezes me encontrei gargalhando com esse livro. (Raiza o que foi aquela cena com o gato do Ian, hein?! risos infinitos).

Mas me emocionei também. Esse livro é aquele que pegamos para ler sem nenhuma pretensão, num dia de folga, no meio das suas férias, numa viagem de final de semana e ele te conquista sem você sentir.
Tenho que confessar que ao dar um novo rumo a narrativa, quase no final do livro, transformando um gostoso chic-lit em um drama mais profundo, não funcionou tão bem para mim. Achei um pouco de sofrimento demais, mexicanizado talvez. Mas isso não tira o brilho do livro e minha recomendação.

Amei o que a Raiza fez ao colocar trechos de algum texto ou musica ao iniciar cada capítulo ( essas fotinhas que espalhei pela resenha), todas as citações escolhidas são tão certas, tão sábias e combinando perfeitamente com o que aquele capítulo ia nos revelar. Quase tiro fotos de todo o livro para guardar essas frases comigo. Dê uma chance a literatura nacional, coloque O garoto dos olhos azuis na sua lista de leitura, eu recomendo!

Bjos e até a próxima!







PhotobucketRSS/Feed - Receba automaticamente todos os artigos deste blog. Clique aqui para assinar nosso feed. O serviço é totalmente gratuito.

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para mim. Muito Obrigada pela visita, e te espero no próximo post!

Arquivo

Experimente!

Link-me

Creative Commons License
Menina da Bahia licenciada sob uma Licença Creative Commons

  © Menina da Bahia - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL