twitter
RSS

[Resenha] 100 Dias de Felicidade- Fausto Brizzi

>> quarta-feira, 8 de abril de 2015



Olá Pessoas! Tudo bem?
Hoje eu venho aqui falar desse livro que entrou para a lista de 'meus livros de cabeceira'. Ela não é uma lista extensa, continha apenas dois livros. Porém, como tudo há um porém, eu adicionei esse porque valeu a pena e logo abaixo eu vou explicar o porquê.

Logo no início do livro 100 dias de felicidade ( Editora Suma de letras, 312 páginas, 2014), Lucio Battistini, o narrador da própria história, é muito bem humorado. Ele conseguiu trazer a tona todos os problemas difíceis de um jeito bem leve. Sem rodeios, ele conta o porque de três datas serem as mais importantes da vida dele. O primeiro foi o dia no qual foi concebido, uma Sexta-Feira 13.  O segundo foi o dia em que pediu a até então noiva em casamento. Dia 11 de Setembro de 2001. (Sim, no mesmo dia do atentado terrorista às torres gêmeas em NY).  E o terceiro, o dia da sua morte, 14 de Julho de 2013...


Eu sei, já contei o final e agora você não está mais com vontade de ler o restante. Então, estraguei a leitura. Mas, como afinal de contas você comprou o livro e parar na página 11 é uma coisa antipática, também vou revelar o nome do assassino a você. 
E assim ele conta que o assassino é na verdade um câncer e conta que apelidou o dele de "Amigo Fritz" para torná-lo mais íntimo, familiar e menos agressivo...

Esta é a história de como eu vivi os últimos cem dias da minha permanência no planeta Terra em companhia do amigo Fritz. E de como, contra qualquer previsão e qualquer lógica, foram os dias mais felizes da minha vida. 
Bonito né? E assim, ele começou a fazer uma recapitulação de alguns meses da vida dele, como se estivesse fazendo um prólogo para introduzir os personagens, para enfim contar a história principal. Foi então que ele fez um resumo da vida dele, passando por todos os momentos desde o nascimento até a morte dos avós e tem uma citação dele sobre os avós que eu sei que a maioria vai concordar:
Os avós são como os super-heróis. Nunca deveriam morrer.
E então ele continua falando do quanto os avós eram unidos e que depois da morte deles, encontrou na portaria onde trabalharam até o fim de suas vidas, uma caixa com muitas fotos. Não eram fotos de recordações de datas importantes, ele viu que o avô tirou uma foto por dia da sua avó durante os sessenta anos que passaram juntos. Isso mesmo, todos os dias e tiradas de lugares diferentes. Olhar as fotos que estavam na caixa, era fazer uma viagem ao tempo pela Itália que se transformava e onde estava a história.

Ele apresenta os personagens da vida dele:  os filhos Lorenzo e Eva de 9 e 6 anos, respectivamente; Paola, a sua esposa; o sogro Oscar. Os amigos Umberto e Conrado. O motivo dele ter traído o amor da vida dele, Paola.  Em seguida, fala como foi e o que aconteceu quando ela descobriu. E depois nos conta como tomou conhecimento da existência do amigo Fritz. Descobrir um câncer não é nada fácil, descobrir que o estágio que ele se encontra não é muito favorável, ~afinal é um tumor maligno no fígado de 6 centímetros ~ e que não há mais chances de cura, deixa qualquer um desestabilizado e com Lucio não foi diferente.

Sendo assim, depois de passar por vários oncologistas, ter feito vários exames e nenhum deles dando esperanças de que o quadro seria reversível, ele teve a ideia mais brilhante que um paciente "terminal" poderia ter, que foi fazer uma contagem regressiva de cem até zero. Onde zero é a data da sua morte. Ok, parece triste não é? Não! Ele faz uma reflexão do que ele quer fazer nesses dias e da melhor maneira possível.
A primeira coisa da lista é ser perdoado por Paola. Não vai ser uma tarefa fácil, porém ele continua dando o seu melhor para que dê certo. Enquanto não vai funcionando os planos de reconquistar a esposa, ele descobre por meio da doença, a não desperdiçar o tempo e com isso se demite do trabalho, mas continua no outro trabalho de treinador de um time de Polo Aquático, eu não falei aqui, mas ele foi durante a adolescência jogador de Polo Aquático e tem uma grande paixão pelo esporte.  

Nessa fase da vida ele anda muito por Roma e um dia eis que ele vê uma placa escrito "Bate-Papo" e se deixa levar pela curiosidade, entra e conhece Massimiliano, que vende isso mesmo: bate-papo, conversa. Você vai até a casa dele, senta, desabafa sobre qualquer assunto, toma um chá enquanto ouve um conselho sábio e depois deixa uma contribuição de 5 euros/hora para manutenção da casa. Eu achei isso fantástico. Deveria ser uma coisa obrigatória em todas as cidades, sério!

Um dos conselhos de Massimiliano foi de que ele procurasse uma naturopata, já que ele se recusou a fazer todo o tratamento de quimioterapia e tomar uma quantidade absurda de remédios. Eis que surge uma solução mais saudável, só que tem um problema ele não é nem um pouco saudável. Mas se sacrifica, porque para que possa durar os cem dias que planejou. E de cara descobre que a rosquinha que ele tanto ama, pode ter sido a causa do seu tumor ter aparecido. Essa é uma parte bem legal do livro, principalmente se você tem algum tipo de alergia ou intolerância alimentar, porque a naturopata quando está explicando ao Lucio os malefícios de comer a rosquinha, parece que o paciente é você.

Não vou ficar aqui contando todos os detalhes do livro senão depois vocês não vão querer ler, mas digo que acontecem umas coisas bem bacanas, bem reflexivas. Ele passa a observar mais as coisas e as pessoas ao redor dele, fica mais presente às necessidades dos filhos e mesmo não estando 100% com a esposa, é mais dedicado as necessidades dela também. E faltando uns 20 dias para a data final, ele planeja uma viagem em família para que possa ficar os últimos dias com as pessoas que ele mais ama, e Paola no início é contra, mas depois cede, porque sabe o quão importante é pra ele fazer aquilo. O bacana dessa viagem deles, foi porque fomos junto para lugares da Itália que geralmente não ouvimos falar. Que certamente entraram para minha lista de lugares que quero conhecer futuramente.  

Esse foi um livro que me fez rir muito, também chorar um pouco. Pensar o tempo todo nas coisas práticas da vida e por diversas vezes eu me perguntei o que faria se só tivesse 100 dias de vida? E certamente Lucio foi a imagem da coragem por querer sair de cena quando ainda poderia permanecer. Tudo porque ele queria que as pessoas guardassem a imagem de como ele sempre foi, ao invés de ver ele morrendo aos poucos. E outra coisa que eu aprendi com ele foi que se você ama , se você realmente ama uma pessoa e tudo o que ela representa pra você e se por um acaso você falhar gravemente com essa pessoa, lute, corra atrás, mas não sufoque, não diga apenas que se arrependeu, prove que se arrependeu. As ações valem mais que as palavras!

Fiz tudo o que tinha que fazer. Tudo que pude fazer. Não fui o melhor, mas dei tudo de mim.
                                                  
E é assim que eu me despeço do Lucio e de vocês nessa resenha, espero que tenham gostado. Se você leu Como eu era antes de você e se tornou fã, certamente vai amar esse livro.


Beijos e até a próxima!
 












PhotobucketRSS/Feed - Receba automaticamente todos os artigos deste blog. Clique aqui para assinar nosso feed. O serviço é totalmente gratuito.

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para mim. Muito Obrigada pela visita, e te espero no próximo post!

Arquivo

Experimente!

Link-me

Creative Commons License
Menina da Bahia licenciada sob uma Licença Creative Commons

  © Menina da Bahia - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL