twitter
RSS

Apenas Respire - Susan Wiggs

>> segunda-feira, 22 de agosto de 2011



O amor entra na sua vida no momento em que ele quer entrar,
não quando você está pronto.
Pág. 172



Resenha by Cláudia Vasconcelos:

Sarah é uma mulher comum, vive em Chicago e trabalha desenhando tirinhas para alguns jornais. Há um tempo ela vem fazendo tratamento numa clínica de fertilidade, já que seu marido Jack teve câncer e acabou ficando estéril.

Quando descobriu a doença do marido, a vida de Sarah passou a girar em função dele, das vontades e desejos de Jack. E mesmo depois de curado, ela continuou vivendo para agradá-lo.

Um dia, depois de ir sozinha para mais uma tentativa de inseminação, Sarah resolve fazer uma surpresa para seu marido e lhe levar uma pizza, em seu local de trabalho. Mas é ela quem tem uma grande surpresa, e não é nada agradável: Jack está tendo um caso.

O amor podia ser morto em um instante? Poderia existir em um momento e, em seguida, morrer como uma pessoa baleada no coração?
Pág. 148

Sarah pega a estrada, sem rumo, e acaba indo parar numa pequena cidade da Califórnia, onde cresceu.

Enquanto lida com o doloroso processo de separação e tenta se habituar a nova vida, ela reencontra Will Bonner, um antigo colega da escola, e descobre que aquele menino que antes a irritava, se tornou um homem incrivelmente sedutor, trabalha com resgate no corpo de bombeiros, está solteiro e vive com sua enteada Aurora.

Mas Sarah ainda está muito abalada emocionalmente para pensar em se envolver novamente.

Se você tem medo de um coração partido, tem medo da própria vida.
Pág. 144

Quando ela acha que seu único problema é seu casamento destruído, descobre que a última inseminação deu certo e que está grávida. De gêmeos!

Com o apoio de Will, Sarah vai se sentindo mais forte para enfrentar os problemas e administrar a nova vida... ela só não tem força suficiente para evitar a paixão por Will.

Apenas Respire, de Susan Wiggs (Harlequin, 476 páginas, R$ 41,90) nos transmite, a todo momento, mensagens de confiança, de esperança, e nos mostra que, em determinadas circunstâncias, devemos apenas respirar e deixar que a vida siga seu curso. Assim como Sarah, também me apaixonei por Will e seu coração tão generoso.

Uma coisa que me incomodou muito foi a quantidade de erros que o livro possui. Dá a sensação de que ele sequer foi revisado! São muitos erros mesmo (de grafia, de digitação, concordância). Isso não tira o encanto do livro, mas são tantos que realmente incomoda!

Ah! O livro possui 42 capítulos distribuídos em 6 partes. No início de cada parte, tem uma tirinha desenhada pela personagem. Adorei!!!

Acho que não existem finais felizes. A vida é complexa demais para isso. As coisas nunca terminam. Apenas mudam.
Pág.74


No Press Kit de lançamento, da versão original, de Apenas Respire, a Mira Books publicou uma entrevista com a Susan Wiggs. Segue uma parte. Esse livro é maravilhoso!


Will tem um relacionamento complexo com sua enteada. Como você criou uma dinâmica familiar realista entre eles?

SW: Aurora foi a chave que destravou o melhor de Will quando ele a salvou de um incêndio, e o elo que se formou naquele dia os uniu para sempre. Aquele momento realmente o colocou no caminho para descobrir quem ele é. Ele quer ser um bom padrasto. É de onde o realismo vem. A maioria dos pais encontra garotas pré-adolescentes completamente confusas, mas eles não podem ir embora ou desistir.


Você passou de professora de matemática a autora de romances – o que te inspirou a dar este salto e começar a carreira de escritora?

SW: Na realidade, o salto foi na direção contrária. Com três anos de idade eu me declarei uma escritora e raramente me desviei desse caminho. Eu comecei como professora de matemática porque precisava de um trabalho, e porque eu tenho paixão pelo ensino, mas eu nunca parei de contar histórias ou sonhar com uma carreira de escritora. Quando eu estava na faculdade, me foi dada uma bateria de testes e avaliações para descobrir que tipo de carreira serviria para mim. Meus três primeiros foram escritor, professor e fonoaudiólogo. Fiz dois dos três.


Em APENAS RESPIRE, Sarah Moon tem um tipo de alter ego, como a heroína dos seus quadrinhos, que passa por muitas provações . Existe um pouco de você mesma em alguma das heroínas das suas histórias?

SW: Com certeza! Eu vivo profundamente dentro dos personagens que criei, e isso é como as histórias ressoam comigo e, eu espero, com o leitor. As vidas dos meus personagens são completamente diferentes da minha própria vida. Por exemplo, eu nunca passei pela traição que Sarah passou em seu casamento, nunca fiz inseminação artificial e eu nunca estive grávida de gêmeos, mas as experiências emocionais de Sarah são autênticas pra mim. Meus personagens são geralmente mais jovens e mais magros que a autora, também. Este é o elemento fantasioso entrando em jogo.

Enfrentando a tarefa de começar a vida (com gêmeos a caminho!), Sarah se mostra um personagem profundo. O que inspirou um personagem tão forte?

SW: Estou feliz que ela pareça profunda e forte. Eu tentei fazer Sarah uma personagem em quem se pudesse acreditar - às vezes falha e confusa, quando encara grandes e complexas situações da vida, mas ela acaba encontrando recursos de que precisa para crescer em sua nova vida.  Eu fui inspirada por mulheres que conheço e admiro – minhas amigas, membros da minha família e leitores.


Sarah e Will Bonner tem uma história juntos. Ela era estranha na escola e Will era um ótimo atleta – então, anos depois, como eles formaram o casal perfeito?

SW: É muito bonito esse círculo romântico na história, não é? Os dois personagens estão em processo de crescimento e mudança, e um dos desenvolvimentos mais dramáticos da história é a transformação de dois jovens que eram muito centrados em si mesmos e diferente de um casal cuja ligação é formada por impotência e amor. Uma nota pessoal: Jay (meu marido) e eu tendemos a ser “reprovados” em todos aqueles testes de compatibilidade em livros e revistas, e nós vivemos um casamento feliz, estamos juntos há 28 anos. Química é uma força mística!


A traição leva Sarah de volta à sua casa na Califórnia, onde ela se reconecta com velhos amigos e seu próprio passado. Porque sua cidade natal é o lugar certo para Sarah encontrar a si mesma?

SW: Glenmuir, na costa norte da Califórnia, é o lugar onde o caráter de Sarah foi formado, mas ela deixou muitas coisas inacabadas em aberto. A jornada do seu coração a levou de volta para lidar com antigas questões que ela nunca encarou. A configuração nessa história é crucial para este personagem. É também um lindo lugar, com muitas metáforas para o crescimento e renovação.

Photobucket

PhotobucketRSS/Feed - Receba automaticamente todos os artigos deste blog. Clique aqui para assinar nosso feed. O serviço é totalmente gratuito.

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para mim. Muito Obrigada pela visita, e te espero no próximo post!

Arquivo

Experimente!

Link-me

Creative Commons License
Menina da Bahia licenciada sob uma Licença Creative Commons

  © Menina da Bahia - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL