twitter
RSS

Eu sou o número quatro - Pittacus Lore

>> sexta-feira, 1 de abril de 2011

 
 
O Número Um foi capturado na Malásia.
O Número Dois, na Inglaterra.
E o Número Três, no Quênia.
Eu sou o Número Quatro.
Eu sou o próximo.

 
Resenha by Kitty:
 
Encontrei esse livro no ano passado, o hardcover em inglês e fiquei "Uau, eu TENHO que ler esse livro". Mas ele era carinho para um em inglês, então eu só ficava paquerando ele na estante, esperando o preço baixar. Soube que iam fazer o filme, tava no início das gravações na época e o comichão ficou mais forte. Quando soube que a Intrínseca ia lançar, fiquei felicíssima. Então veio o evento de lançamento, ganhei botton, pingente, tudo que tenho direito e pedi o livro emprestado. Passei ontem o dia todo lendo, virei a madrugada e aqui estou!

A premissa de Eu sou o número quatro, de Pittacus Lore (Intrínseca, 352 páginas, R$ 39,90) é basicamente o da sinopse. O número quatro tendo de fugir de um lado para outro por causa dos Mogadorianos, a raça que invadiu o seu planeta natal, Lorien, e que acabou com toda a forma de vida do planeta. Nove crianças com capacidade de desenvolver poderes especiais, Guarde, foram enviadas à Terra com seus respectivos guardiões, Cêpan, para poderem crescer, adquirir seus Legados, os tais poderes, e se fortalecer para poderem lutar cotra os Mogadorianos e restaurarem a vida e paz em Lorien.

Depois de receber a marca de que o número Três foi morto, Henri e John (número quatro) seguem para Paradise, Ohio, um lugar que parece com qualquer outra cidade pequena que eles já estiveram antes. Mas logo no primeiro dia de aula as coisas não vão como John esperava. Ele conhece uma menina linda, fica numa encrenca com o nerd por UFO, entra numa briga com o valentão da escola, e ainda recebe seu primeiro Legado. Nada como manter as coisas discretas!

A partir daí, John vai ter de começar o seu treinamento enquanto leva, pela primeira vez, uma vida de um garoto qualquer. Pelo menos até os Mogadorianos derem sinal de que o encontraram.

O início tem uma mensagem bem ecológica, mostrando como os lorienos, igual aos humanos, quase esgotaram as reservas naturais do planeta. No entanto, caíram em si sobre o mal que estavam fazendo e mudaram suas atitudes, se livraram de armas e substâncias tóxicas e se reinventaram, mudando o destino do planeta. Este, como agradecimento, concedeu os Legados para alguns dos seus. Já os Mogadorianos não tiveram essa percepção, destruíram Magadore e tiveram de invadir outras planetas para sobreviverem.

Não vou falar muito para não soltar muito spoiler, mas a dinâmica do livro é bem legal. Os capítulos são curtos, o que facilita para você avançar na leitura sem perder o foco como acontece com capítulos enormes. Enquanto se está lendo você vai percebendo que logo algo vai acontecer, então fica naquela  expectativa esperando as coisas desenrolarem. Só no final os capítulos ficam maiores, mas também não tem como cortá-los. De vez em quando, perto do final, se tem a impressão que a leitura vai andando um pouco devagar, mas é porque tem muita discrição para muitas coisas acontecendo ao mesmo tempo. O que é bom pois você consegue visualizar toda a cena na cabeça. Um filme de sci-fi.

Me acabei de chorar nas últimas páginas, mas não digo o motivo. E, aí, surge um fato que pode explicar todo um grande mistério mas que..... Humm, conto não!

Já estou morta de curiosidade para saber o que vai acontecer no próximo livro, que já tem nome: "The power of the six", algo como "A força do seis". Agora, se mate! Previsão para lançamento nos Estados Unidos é para 23 de Agosto de 2011.

Ah, e tem outro detalhe legal. Isso tudo é uma história real! Pois é, pois é! Logo na primeira página tem escrito:

Os eventos neste livro são reais.
Nomes e lugares foram modificados para proteger os seis lorienos, que continuam escondidos.
Considerem isso como um primeiro aviso.
Outras civilizações existem.
E algumas querem destruir vocês.

Tanto é que o Pittacus Lore é um Ancião do planeta Lorien a quem foi cofiado a história dos nove lorienos. Ele é mencionado várias vezes quando se fala das pessoas mais velhas e mais sábias de Lorien.

Como curiosidade é super saudável, fiquei encucada para saber o nome mesmo do autor. A própria Intrínseca divulga esse fato  no site dizendo que foi idealizada por James Frey e escrita em coautoria com Jonie Hughes sob o pseudônimo de Pittacus Lore.  Matou minha curiosidade, mas vamos concordar que um mistério caia bem.

Photobucket
PhotobucketRSS/Feed - Receba automaticamente todos os artigos deste blog. Clique aqui para assinar nosso feed. O serviço é totalmente gratuito.

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para mim. Muito Obrigada pela visita, e te espero no próximo post!

Arquivo

Experimente!

Link-me

Creative Commons License
Menina da Bahia licenciada sob uma Licença Creative Commons

  © Menina da Bahia - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL