twitter
RSS

A Canção do Súcubo - Richelle Mead

>> terça-feira, 15 de março de 2011



Se fosse para se autodefinir, Georgina Kincaid diria que é um súcubo com sapatos fantásticos e sem nenhuma vida social.

Nascida na Grécia Antiga, como Letha, Georgina vendeu sua alma, logo após trair seu marido e o deixar na comiseração. Agora, ela é um ser imortal, um súcubo. Demônio que se alimenta da força vital humana através do sexo. Quanto mais sexo, quanto mais prazer, mais energia ela terá.

Depois de séculos vagando, perdendo amigos, sem família, Georgina dedica-se a se alimentar de homens imorais. Quanto mais pevertido, melhor. Sua consciência não ficará pesada. Além do que, ela dá o que eles querem. Ela pode ser uma estudante asiática ou uma loira provocante.

Tentando a normalidade em sua vida, ela mantém uma aparência específica para ir trabalhar. É subgerente de uma livraria. E é uma leitora fiel, não diria ávida, porque ela tem uma regra: lê apenas cinco páginas por dia do livro de seu autor favorito, Seth Mortensen.

Os livros de Seth demoram a serem publicados, então para não ficar na abstinência ela lê devagar. Para sua sorte, Seth participará de uma noite de autógrafos na livraria que ela trabalha. É sua chance de dizer o quanto aprecia sua escrita e lhe fazer algumas perguntas pertinentes à obra.

Seth é totalmente diferente do que ela imaginara, é um super nerd, camisas no estilo de Sheldon, antissocial e completamente inteligente.

Até que Seth é interessante, ao seu modo. Ela o acha sexy, aliás, uma gracinha. Sexy mesmo é Roman, um homem meio misterioso, sensual e com ar perigoso com o qual ela esbarrara... bem que ela poderia se aproveitar dele... ele iria adorar!

Levantando da cadeira, ele se inclinou para a frente, de um jeito muito natural, surpreendendo-me ao estender a mão e erguer a alça de meu vestido, que havia deslizado de meu ombro e caído no braço.
- Assim – declarou. – Perfeito.
Minha pele se arrepiou com o toque de seus dedos, quentes e suaves. Por um instante, uma expressão que eu ainda não havia visto cruzou sua face. Ela fazia com que ele se parecesse menos com o escritor distraído que eu viera a conhecer e mais com um... bom, homem. Uma expressão de apreciação. De avaliação. Talvez até predadória. O olhar se foi tão rápido como surgira, mas eu ainda me sentia surpresa e confusa.
- Fique de olho nessa alça – avisou Seth, com suavidade. – Faça com que ele se esforce para merecer isso. – Ele apontou com a cabeça para um grupo de dançarinos, e acompanhei o movimento para ver Roman conduzindo uma das baristas através de um passo complexo.
Pág. 104

Com muita diversão, mistério e sensualidade, A Canção de Súcubo, de Richelle Mead (Essência, 304 páginas, R$ 39,90), é um livro paranormal peculiar. Demônios, duendes, diabos, anjos e súcubos interagem. Quando imortais começam a serem mortos, Georgina sai à frente para descobrir quem está por trás e eliminar o predador. Seus amigos imortais são tudo que ela tem.

Paralelamente, ela continua com seu estilo de vida libidinoso, roupas provocantes... se divertindo com Roman e com Seth. Mal sabe ela que o que mais desejará será a única coisa proibida.

Recomendo!

Georgina Kincaid
1. A canção do Súcubo
2. O Poder do Súcubo
3. Succubus Dreams
4. Succubus Heat
5. Succubus Shadows
6. Succubus Revealed
Photobucket



PhotobucketRSS/Feed - Receba automaticamente todos os artigos deste blog. Clique aqui para assinar nosso feed. O serviço é totalmente gratuito.

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para mim. Muito Obrigada pela visita, e te espero no próximo post!

Arquivo

Experimente!

Link-me

Creative Commons License
Menina da Bahia licenciada sob uma Licença Creative Commons

  © Menina da Bahia - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL