Evento: Bertrand Brasil e LDM





Photobucket


Estamos com Ruy Espinheira Filho em Samarcanda. Não vamos longe de Ciméria ou de Pasárgada. Estamos com Manuel Bandeira e Oswaldino Marques. E por que não evocar a rua Lopes Chaves, que é o mesmo que dizer Mário de Andrade? A poucos passos da oficina irritada de Drummond. Toda uma constelação de eventos, ao que Ruy completaria: et in arcadia ego. Arcádia metafórica, bem entendido, viva, contemporânea, no registro forte da poesia brasileira, em cuja altitude se inscreve Samarcanda, com o soberbo rigor do artista, que sabe trovar claro, porque domina as formas do trobar clus. Ruy não se prende àquelas fontes. Aproxima-se para se afastar. Não subsistem aqui resíduos de uma angústia da influência. Samarcanda não está em parte alguma. É uma espécie rara de não-lugar. A única geografia capaz de abrangê-la talvez se desenhasse no coração da língua portuguesa, sob a diferença específica dos ventos que sopram neste livro. Chuva e tempestade. A longa paciência dos dias. E toda uma dimensão líquida e transparente nos modos de sentir. E de seus belos instrumentos. O corpo transparente da palavra assumida numa biografia aberta. É a obra mais livre e calculada de Ruy. Mais dolorosa e alegre. Mais aflitiva e serena. Temperada de ironia e comoção. Superou-se a si mesmo na altitude deste céu, na luz generosa das quatro vogais que produzem o som altivo e claro de Samarcanda.
Marco Lucchesi

Ruy Espinheira Filho, além de escritor, é jornalista, mestre em Ciências Sociais, doutor em Letras e professor de Literatura Brasileira do Departamento de Letras Vernáculas da Universidade Federal da Bahia. Nasceu em Salvador, Bahia, em 1942. Publicou diversos livros de poemas: Heléboro, Julgado do vento, As sombras luminosas (Prêmio Nacional de Poesia Cruz e Sousa), Morte secreta e Poesia anterior, A guerra do gato (infantil), A canção de Beatriz e outros poemas, Antologia breve, Antologia poética, Memória da chuva (Prêmio Ribeiro Couto, da União Brasileira de Escritores), Livro de sonetos, Poesia reunida e inéditos e Elegia de agosto e outros poemas (Prêmio de Poesia da Academia Brasileira de Letras, Menção Especial do Prêmio Cassiano Ricardo da UBE e 2º lugar no Prêmio Jabuti de Poesia). Lançou também vários livros em prosa: Sob o último sol de fevereiro (crônicas), O vento no tamarindeiro (contos); as novelas juvenis O Rei Artur vai à guerra, O fantasma da delegacia, Os Quatro Mosqueteiros eram três; os romances Ângelo Sobral desce aos infernos (Prêmio Rio de Literatura), Últimos tempos heróicos em Manacá da Serra e Um rio corre na Lua, e os ensaios O Nordeste e o negro na poesia de Jorge de Lima, Tumulto de amor e outros tumultos: criação e arte em Mário de Andrade e Forma & alumbramento: Poética e poesia em Manuel Bandeira.

O texto acima foi retirado do site da Bertrand Brasil. 


Dia 10 estarei lá prestigiando o evento. Algumas meninas do Clube do Livro também irão. Caso queiram nos encontrar é só enviar e-mail.

Lembrando que no dia 11, o poeta estará na 3ª edição da Feira do Livro - Vão das Letras, às 9h no TCA. Vou tentar ir para esse evento também. Se eu não for, não de preocupem porque a Jennifer deve ir e depois nos conta como foi.





Photobucket


Photobucket





PhotobucketRSS/Feed - Receba automaticamente todos os artigos deste blog.
Clique aqui para assinar nosso feed. O serviço é totalmente gratuito.

7 comentários

  1. Nat, vc está cada dia mais chique!!!!

    Bjs

    ResponderExcluir
  2. opa \o/
    sabado é confirmado, domingo ainda vou ver.
    mas se eu não for uma das outras meninas do meu TCC devem ir.

    Abraços e até sabado.

    ResponderExcluir
  3. Essa Menina da Bahia... sei não viu!?
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Lóxu!

    ResponderExcluir
  4. Flor, estamos com um sorteio ótimo lá no blog! Se vc puder dar uma força na divulgação vou ficar mto feliz! http://venenopicante.blogspot.com/2010/04/nosso-primeiro-sorteio.html Me avisa q eu vou te linkar ta! bjo

    ResponderExcluir
  5. Nha Salvador é mto longe hahaha, e olha que tô louca pra comer um acarajé hahahaha

    Miquiliss
    Bru

    ResponderExcluir
  6. O livro Dança dos Sonhos é maravilhoso e deveriam retratá-lo no cinema. Ruth Bannion deveria ser vivida por Polina semionova e Nikolai Davidov por Friedemann Vogel. Seria inesquecível.

    ResponderExcluir

Seu comentário é muito importante para mim. Muito Obrigada pela visita, e te espero no próximo post!