twitter
RSS

[Resenha] Nada Escapa a Lady Whistledown- Julia Quinn, Suzanne Enoch, Karen Hawkins e Mia Ryan

>> quarta-feira, 25 de julho de 2018



‘’Até mesmo o imponente Tâmisa congelou. Esta autora não pode deixar de ser perguntar se isso significa que maridos de toda a cidade terão agora que realizar as promessas que vinham adiando, com alegações como ‘’No dia em que o Tâmisa congelar vou prestar atenção às sábias palavras da minha esposa’’ – você, que querida leitora, pode incluir aqui o que quiser. ’’

Olá, pessoal!
Antes de tudo preciso fazer uma confissão: desde que comecei a ler romances de época (e isso não faz muito tempo), não posso ver o nome da Julia Quinn em um livro que já o quero para mim hahah E fiquei super contente quando Nada escapa a Lady Whistledown (Editora Arqueiro, 320 páginas, 2018) veio para as minhas mãos!

A coletânea é composta por quatro histórias, cada uma melhor do que a outra. Julia Quinn, Suzanne Enoch, Karen Hawkins e Mia Ryan trazem novos contos de amor da Londres de 1814 e as alfinetas de Lady Whistledown estão presentes em cada início de capítulo. Entre estas autoras, eu só conhecia a Julia, afinal, sou nova nesse mundo dos romances de época, por isso foi bem legal poder conhecer a escrita das outras autoras (;

'' Mais uma vez, a Srta. Susannah Ballister é o assunto do momento. Depois de alcançar a dúbia distinção de ser ao mesmo tempo a jovem mais popular e a mais impopular da temporada de 1813 (graças ao ocasionalmente tolo Clive Mann-Formsby), ela desfrutava de um pouco de obscuridade até que outro Mann-Formsby- dessa feita, David, o conde de Renminster- a agraciou com sua atenção exclusiva no espetáculo O mercador de Veneza (...)''



As histórias se esbarram e é perceptível a presença de personagens centrais sendo secundários em outro conto. Achei isso bem interessante, como se os personagens passeassem pelo livro e pelos acontecimentos.
Não me surpreendeu a constatação que tive ao final: a história escrita pelo Julia, Trinta e seis cartões de amor, foi a minha favorita. Susannah Ballister e David, o conde de Renminster, se tornaram o meu casal favorito no livro e até um dos meus favoritos entre todos os outros da coletânea Quinn.


''Estaria cortejando-a? O conde?
Ela balançou a cabeça, na tentativa de afastar da mente ideias tolas. Impossível. O conde de Renminster nunca havia demonstrado sinais de cortejar seriamente qualquer pessoa, e Susannah duvidava muito que fosse começar por ela.''

Mas Lady Whistledown sempre sabe! E que legal é imaginar (ALERTA DE SPOILER) Penelope Featherington escrevendo as colunas secretas das fofocas londrinas xD hahah

Em Dois Corações, de Karen Hawkins, conhecemos a Srta. Elizabeth Pritchard e Sir Royce Pemberley, que formam aquele casal de amigos que a gente shippa e torce para que fique junto logo!


''Falando na Srta. Pritchard, esta autora seria omissa se não mencionasse que usou as seguintes cores na semana passada, todas ao mesmo tempo: vermelho, azul, verde, amarelo, lavanda, rosa (bem clarinho, não podemos deixar de observar). Esta autora tentou encontrar um tom de laranja, mas não conseguiu.''

Eu adorei a excentricidade de Liza, o modo único o qual ela se veste e se comporta chamam atenção a tornando um destaque na comumente enfadonha sociedade londrina do século XIX.


‘’(...) Lady Anne Bishop foi vista fazendo anjinhos na neve na companhia de sir Royce Permberley, que, não podemos deixar de observar, não é seu prometido. ’’

Suzanne Enoch, em Um amor verdadeiro, faz com que o prometido de Lady Anne Bishop, o marquês de Halfurst se desloque de Yorkshire a Londres depois que uma fofoca cabeluda, exposta por Lady W, claro, vem à tona. Será que o marquês criador de ovelhas conseguirá levar para o campo a mocinha apaixonada pela cidade?
Adorei o surgimento do romance entre eles, através das incansáveis tentativas de Maximiliam, o marquês, em tentar conquista Anne. E a convicção dela em não querer largar a cidade que ama e a vida que leva demonstrou a força da personagem. *-*



‘’Chegou recentemente à cidade, para nossa estranha ‘’temporada de inverno’’, o marquês de Darington, que não era visto em Londres havia mais de cinco anos, desde seus tempos de soldado. (...)’’

Em Um uma dúzia beijos, de Mia Ryan, o drama é mais pesado. Depois de ser ferido em guerra, o marquês de Darington retornou para a propriedade em Ivy Park, herdada após a morte de seu primo de quarto grau, o último lorde Darington.
Por, até então, exigência do marquês de Darington, a esposa do falecido e a filha, lady Caroline Starling, tiveram apenas dois dias para se retirarem da residência em Ivy Park! Mas quis o destino que o marquês e lady Caroline se encontrassem meses depois, um sem saber quem era outro. Mas será que o recente romance sobreviverá às futuras revelações? 


Adorei Nada escapa a Lady Whistledown e matei a saudade da minha Gossip Girl favorita do século XIX hahhah Ao se despedir no quarto livro da série Os Bridgertons, Lady W fez uma significativa falta nos livros seguintes. A ideia do lançamento de, até então, dois livros especialmente para ela (e ainda com histórias incríveis!) foi excelente.

Espero que venham outros!


‘’Ah, espere, o Tâmisa ESTÁ congelado.
Aparentemente nada é impossível nos dias atuais .’’

Seria pedir muito um David, conde de Renminster, na minha vida!? Hahaha Lady W disse que nada é impossível, então, quem sabe!? ;P

PS: ao finalizar a resenha, percebi que a escrevi conforme o meu grau de gosto pelas histórias e não pela ordem. Todas são ótimas, mas sempre tem aquela que nos agrada mais, né?

Saldo final: 5 estrelinhas !

Um beijo e até a próxima!
























PhotobucketRSS/Feed - Receba automaticamente todos os artigos deste blog. Clique aqui para assinar nosso feed. O serviço é totalmente gratuito.

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para mim. Muito Obrigada pela visita, e te espero no próximo post!

Arquivo

Experimente!

Link-me

Creative Commons License
Menina da Bahia licenciada sob uma Licença Creative Commons

  © Menina da Bahia - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL