twitter
RSS

[Resenha] O Casamento- Victor Bonini

>> segunda-feira, 13 de novembro de 2017



Olá Pessoas!! Tudo bem com vocês?

A resenha de hoje é do livro O Casamento (Faro Editorial, 2017, 365p.) do Victor Bonini, também autor de Colega de Quarto. Desta vez temos um casamento como cenário, em um hotel-fazenda no interior Paulista com duração de 4 dias.

Os noivos Plínio e Diana não eram de famílias abastadas, então um casamento de 4 dias em um hotel-fazenda, chamou muito a atenção de tudo e todos. Confesso que não fui simpática à esse casal, parece que faltava alguma coisa neles e que estavam se casando para disfarçar algo. Aliás meu problema nem era Plínio e sim Diana. Por isso o começo do livro foi um tanto difícil pra mim, porque focava neles.


Até que o Lyra voltou, se você leu Colega de Quarto sabe de quem estou falando. Então, me empolguei porque entre o casal e a festa, temos Ricardo Gurgel, ex-vizinho dos pais de Diana e pai do melhor amigo de infância dela, sendo chantageado por ser amante da irmã do noivo. Foi aí que a minha leitura deslanchou porque haja adrenalina, a pessoa por trás da chantagem era muito provavelmente próxima dos familiares, afinal também foi ao casamento.

“Nada daquilo, aliás, se parecia com um conto de fadas. Quanto mais Lyra conhecia os convidados, mais se deparava com o lado podre daquela gente. Não era por se tratar de um casamento que as coisas tinham de parecer um sonho.”

A chantagem vira o protagonista do livro porque as dúvidas começam a surgir: quem está por trás? Será alguém próximo ou só está tentando a sorte? Enfim, dúvidas que Conrado Bardelli começa a buscar por respostas e eis que o primeiro assassinato acontece. No dia do casamento. Todo mundo é suspeito, inclusive Lyra. Aquela correria porque não há mais clima para festa e ninguém mais quer continuar ali, ainda mais da forma brutal que a pessoa foi assassinada.


Ricardo continua sendo chantageado, apesar dos acontecimentos que envolveram alguém da sua família, Lyra continua sem ter certeza de nada, a não ser que é uma mulher e que ela tem um perfume de rosas, segundo o próprio Gurgel comentara. Por falar nisso, peguei pavor do cheiro de rosas depois desse livro, já não era muito fã antes, agora piorou.

“Um cheiro que conseguia transmitir tanto vida quanto morte. Era o cheiro de rosas. Rosas que são dadas de presente em festas. Rosas que são jogadas sobre túmulos em funerais.”
O segundo assassinato acontece e novamente todos os que ainda estão no hotel-fazenda são suspeitos. Senti o Lyra mais lento dessa vez, como se tivesse perdido o jogo de cintura, não foi uma coisa negativa, muito pelo contrário mostrou que ele não é uma máquina e que os detetives não são Sherlock Holmes e sempre vai ter a solução dos problemas em um estalar de dedos.


A partir desse momento, pós feriado os acontecimentos são hilários, porque tudo o que temos é sangue. Uma ex-noiva desnorteada e um ex-noivo perdido. Não sei porque gostei muito do Plínio, as pessoas o viam de uma forma muito negativa por ele ter desistido do curso de medicina, ser meio ogro, mas no fundo é só uma pessoa perdida. Um típico caso de filhos de pais problemáticos, o pai dele é um ex-militar perigoso e que trata bem mal seus filhos.

“Uma coisa é aceitar uma verdade. Mas suspeitar é outra coisa. É involuntário. Automático como perceber que você ama alguém. De repente, você nota que alguma coisa não encaixa. E o seu cérebro faz o resto. O seu coração pode escolher ignorar aquilo, tudo bem, mas calar o cérebro é matar a razão.”

O Victor tem uma mania de fazer perder o sono, aconteceu em Colega de quarto, dessa vez de novo, eu estava tão envolvida na história que a qualquer momento eu jurava que enquanto eu dormia alguém ia entrar no meu quarto com uma faca para me matar. Na reta final da história então, aí que perdi meu sono mesmo porque foi uma reviravolta totalmente inesperada.



O casamento é aquele livro que você vai mudar de suspeito a cada virar de páginas. Porque, de fato, todos são suspeitos mesmo e fazem algo para que a gente fique confuso. Meu palpite inicial estava correto, no entanto eu o descartei conforme as coisas iam acontecendo. Então, nem preciso dizer que amei este livro né?! Já entrou para a lista de favoritos do ano.
Espero que tenham gostado da resenha. Um beijo enorme e até a próxima!!




















PhotobucketRSS/Feed - Receba automaticamente todos os artigos deste blog. Clique aqui para assinar nosso feed. O serviço é totalmente gratuito.

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para mim. Muito Obrigada pela visita, e te espero no próximo post!

Arquivo

Experimente!

Link-me

Creative Commons License
Menina da Bahia licenciada sob uma Licença Creative Commons

  © Menina da Bahia - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL