twitter
RSS

[Resenha] Uma Janela Para o Céu- Marina Machado

>> sexta-feira, 20 de outubro de 2017




Julyana Barocci é o retrato da mulher atual. É independente, tem o emprego dos sonhos, bem- sucedida, determinada. Quase todos os setores da sua vida são bem resolvidos, quase, porque quando o assunto é relacionamentos, Julyana não tem muita sorte. Após ser traída pelo seu namorado no dia do aniversário dele, ela começa a se questionar do por quê não conseguir ter um relacionamento duradouro.

E para completar, logo após descobrir a traição do ex, seu pai biológico surge do nada, ou melhor, do Rio de Janeiro e conta a sua versão da história, que por sinal é bem diferente da que foi repetida por sua família a vida toda. É aí que ela volta para sua cidade, no interior de Minas Gerais, em busca de respostas.

"Tentaram me conduzir por um trilho sem desvios. Pura utopia! A vida não é retilínea, mas cheia de curvas, aclives e declives, o que às vezes a torna desgovernada ou mágica."
Chegando lá, além de descobrir que sua mãe omitiu a verdade por quase 36 anos, ela também omitiu outras coisas sobre o passado da July que mudaram a vida da moça, que hoje no presente ela consegue compreender tamanho efeito.



Eis que nossa mocinha parte numa viagem sem roteiros para a Califórnia, a fim de fazer as pazes com o seu passado. Será uma viagem de autoconhecimento, de liberdade. Tudo o que a July estava precisando no momento. Depois de dar uma pesquisada sobre Lucas Aiala, ela descobre que ele hoje, se chama Luke Aiala e é um rockstar em ascensão, portanto decide ir à um show que vai ter na cidade e quem sabe não o encontra?
"Ao som de "Always", do Bon Jovi, fizemos mais uma vez as pazes. Ele era a aquarela na minha vida."
O reencontro deles não é logo no primeiro show, mas quando acontece é muito bonito. É palpável o quanto a história deles estava inacabada, que algo de errado não estava certo sobre o passado deles.  E como o Luke é lindo e encantador. Ele tem um jeito bem leve de levar a vida, completamente diferente da July. O Luke vive o hoje, a July planeja o amanhã.



Preciso falar aqui das personagens secundárias, Paola e Alice, melhores amigas da July. Me diverti horrores com os momentos delas três no livro, porque são tão diferentes e ao mesmo tempo se complementam.   

Por ser um livro de estreia, achei a escrita da Marina bem envolvente. Os capítulos são curtos e o enredo bem fluído. Os personagens tem liga, o que nos deixa bastante confortáveis e compreensíveis com tudo o que acontece na vida da Julyana. Tanto que terminei o livro em um dia. A quantidade de “azar” na vida da coitada ultrapassa os limites aceitáveis e não tem como não chorar de rir com isso. Nosso coração diz que é errado, mas é impossível mesmo.
"Como eu conseguirei me expressar e dizer o que quero ou espero? Não posso, é claro. A timidez me contém como de costume. Surgirá, talvez, uma oportunidade mais apropriada, e eu direi o que quero, o que penso, com intensidade, paixão e verdade."


Uma janela para o Céu não é um livro de romance propriamente dizendo, é um livro de auto descobertas, que fala sobre a importância do perdão e saber perdoar para viver mais leve e feliz. Sobre não deixar com que os mal-entendidos do passado interfiram no futuro. Claro que o livro tem cenas românticas, mas não é o foco, eles acontecem naturalmente. O final que o diga e não falarei como e nem com QUEM, obviamente. Mas posso dizer que fiquei muito feliz com tudo o que aconteceu com a Julyana Barocci para que chegasse até ali. 

Espero que tenham gostado da resenha. Um beijo enorme e até a próxima!!




















PhotobucketRSS/Feed - Receba automaticamente todos os artigos deste blog. Clique aqui para assinar nosso feed. O serviço é totalmente gratuito.

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para mim. Muito Obrigada pela visita, e te espero no próximo post!

Arquivo

Experimente!

Link-me

Creative Commons License
Menina da Bahia licenciada sob uma Licença Creative Commons

  © Menina da Bahia - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL