twitter
RSS

[Coluna] Música & Livros

>> quinta-feira, 28 de julho de 2016



Olá Pessoas! Tudo bem com vocês?

Hoje a coluna vai ser em dose dupla!! Isso mesmo. DO-SE DU-PLA. Surtou Lailie? Surtei!
Então vamos lá, que apesar de ser em dupla, temos muita coisa para falar e coisas muito sérias. Não sei se vocês se lembram mais em Março deste ano teve um post que estava participando da blogagem coletiva da Editora Arqueiro sobre Reveng Porn (pornografia de vingança). Se por um acaso você está entrando aqui no blog pela primeira vez hoje e /ou não sabe do que estou falando, clique aqui.



Era uma ação ligada ao lançamento simultâneo dos livros Profundo e Intenso, da autora Robin York que tem como temática principal o revenge porn. Em Profundo, a trama gira em torno da Caroline que teve sua intimidade exposta pelo ex-namorado Nate. Esse imbecil, falo logo assim, é de um cinismo tão grande que chega dá nojo. Ele postou as fotos dela nua, em situações sexualmente constrangedoras que ele mesmo tirou enquanto ainda estavam juntos. Mas quando ela terminou com ele, sentiu a necessidade de espalhar aos quatro ventos como se ela nunca tivesse significado nada para ele.

Parando para analisar, ela nunca significou mesmo. E além de ter postado teve a cara de pau de se fazer de desentendido, além de contar para os "amigos" que foi ela quem postou para chamar atenção. Com isso, a vida de Caroline no campus ficou bem arruinada. Muitas pessoas pararam de falar com ela, outras só se referiam à ela com apelação sexual, enfim um inferno. A única pessoa que apesar dos rumores nunca desistiu da Caro foi a Bridget, aliás foi a Bridget quem avisou a melhor amiga sobre as fotos.

Mas Caroline não contava que outra pessoa ficasse ao seu lado também, mesmo que do jeito dele e totalmente torto. Essa pessoa foi o West.  O cara com cara de encrenca e que logo no primeiro dia que se conheceram, seu pai a alertou que ela deveria se manter longe. No entanto, só West teve a coragem, ou melhor, a audácia de tirar satisfações com Nate, eu falei como se tivesse sido uma coisa bem tranquila. A cena foi bem regada de testosterona. Tão bem escrita que dá a impressão de que estamos no corredor. Depois do ocorrido, claro que Caroline Piasecki foi tomar nota com West do que ele fez, afinal não era necessário usar da violência. Tem uma ceninha muito interessante enquanto eles conversam na biblioteca que seria muita maldadea minha contar.

A Caro após os ataques de comentários maldosos sobre suas fotos, passou a ter muitas insônias, na verdade, ela não dormia por muitos dias. Então, pegava o carro e saía dando voltas no quarteirão para não acordar Bridget que é atleta e precisa do corpo são e da mente sã, ou seja, de uma noite de sono bem dormida. Do outro lado da história estava Wes em seu turno na padaria. Sim, ele trabalhava de madrugada. Em uma de suas habilidades ele também é um bom padeiro. Isso é o incrível do Wes, ele tem uma sede de aprender sobre tudo que ao ler a gente imagina os olhos dele brilhando, sedento por informações.

E é em uma dessas madrugadas que mais uma vez o caminho de Caro e Wes se cruzam. Não foi nada que nós, leitores, não desejássemos que acontecesse. Então, ele a convidou para entrar. Quando a gente recebe um convite para entrar, seja lá onde for, fazemos de tudo o possível para ficar e fazer da iniciativa o nosso eterno lar.

Aconteceram várias coisinhas bacanas nesse meio tempo que eles passam a ser "não amigos" como eles decidiram se chamar, algo palpável para reprimir o que um sempre sentiu pelo outro.



Escolhi a música Middle porque toda vez que eu escutava enquanto lia, só conseguia imaginar Wes e Caro dançando ou tentando finalmente ficarem juntos. Olha, foi complicado, foi difícil, foi tenso, foi tudo o que vocês podem imaginar no quesito "como não me render a um possível amor".

Acho que eu fui uma das pessoas que mais comemorou quando eles finalmente se renderam, foi lindo, foi cauteloso. Wes veste uma máscara que lhe serve muito bem, porque só ele sabe das suas lutas para chegar até Putnam, mas Caro é boa em ver além das máscaras. Ela enxerga quem ele é de verdade. Assim como ele também a enxerga. É algo como mergulhar no mais profundo dos oceanos das suas almas sem saber nadar, cada metro abaixo é uma descoberta nova. É pisar em terrenos desconhecidos no escuro e mesmo assim ultrapassar limites.

Se eu pudesse descrever eles seria exatamente assim. Cada qual tem seus problemas particulares. O fato dele ajudar Caroline em um momento que poucas eram as pessoas que a olhavam como ela exatamente era. Não coloca West em outro patamar, na cabeça dele ele é e sempre vai ser o garoto de Silt que fez as escolhas que fez porque tem uma irmã de 10 anos que de forma indireta é sua responsabilidade desde quando ela nasceu.

É como se existissem dois West Leavitt, o de Silt e o de Putnam. E a maior das suas batalhas é fazer com que eles nunca se encontrem. E depois que ele e Caroline se assumiram para o mundo, parece que tudo ficou mais leve, mais fácil. Ou nem tanto assim, quando se tem um ex como abate que desconhece a palavra limite. Nem depois da surra que levou de West a pessoa aprendeu que não adianta tentar atingir Caroline novamente, ela tem pessoas que realmente se importam com o bem estar e principalmente com quem ela é de verdade.

Como nessa vida nem tudo são flores, ainda mais na vida de West. Eis que Nate apronta mais uma para ele: denunciou-o para a polícia do campus, como traficante. Acontece que ele não estava mais vendendo e nem usando mais. Mas ele já tinha decidido voltar para Silt para proteger Frankie do seu pai, já que a mãe decidiu voltar para o pai dele, o que como todos sabem, sempre foi uma péssima ideia. Então pediu para Bridget falar para Krishna falar aos policiais que a droga encontrada era dele, assim era mais fácil voltar para Silt.

Caroline imediatamente pediu ao pai que tirasse Wes da prisão e que sim, eles estavam juntos, mesmo que ele não gostasse de saber que uma pessoa como West estivesse namorando com uma filha deles. O mais bonito de Caro é que ela é extremamente autoritária e se ela falar que vai fazer, está fazendo algo é isso. Fim de papo. Se você gostar, ótimo. Se não gostar, que pelo menos respeite suas escolhas.



Lost Without U é uma música antiga, mas representa bem o momento da partida de Wes. Tanto ele quanto ela ficam com essa sensação de perdidos no universo. Creio que Caroline tenha ficado mais perdida, afinal foi ela quem continuou no lugar onde cada esquina tem uma lembrança. A dor nem sempre é maior para quem vai. Ainda mais quando sua família finalmente descobre as suas fotos nuas na internet e o inferno está para começar mais uma vez...

Ele  me segura pela nuca. A língua entra na minha boca e o beijo fica profundo, e mais profundo, até que chegamos ao ponto onde não há limites entre nós. O ponto onde eu lhe dou um pedaço do meu coração, da minha alma, um estandarte com franjas macias que se agitam ao vento, declarando-o meu para sempre. 

Bom, alguns podem falar que estou dando spoiler, porém eu não contei nem metade do que acontece em Profundo. Ele faz totalmente jus ao nome e sabe porquê de fato não é spoiler. Quando você termina já quer começar Intenso no mesmo segundo. Não há tempo para ressaca literária aqui não! Foi então que eu entendi a razão para eles lançarem os livros simultaneamente. E a dica preciosa que eu dou é: COMPREM OS DOIS JUNTOS!!! Dica de melhor amiga.

Agora vamos falar de Intenso. O começo dele é bem soco no estômago. Caro e Wes não são mais um casal (emoji deprimido), em decorrência à distância, Wes fez um combinado de que ela não tinha que esperar por ele. Obviamente que, Caroline não conseguiu levar isso muito a diante. Então West decidiu apelar para o "estou saindo com alguém aqui"... ... ... Me economize. Logo pensei, voltamos à estaca zero depois de tudo. E não é que eu estava certíssima.

Mas tudo muda quando West liga para Caroline em um total momento de desespero, afinal seu pai ou melhor o homem que fez a "boa ação" de doar sêmen para que ele nascesse, tinha morrido. Isso só acendeu a lâmpada da cabeça de que ela deveria ir para Silt, por mais que West não a quisesse lá e,a tinha que estar lá, por ele.

Esse foi um dos momentos que eu fiquei com uma (palavrão) raiva do West, sério. Ele estava tão focado em aceitar seu destino que todo e qualquer movimento da Caro, ele estava totalmente atento e se comportando como um verdadeiro babaca. Não vou contar uma cena que me partiu o coração porque eu quero que vocês leiam para ter a mesma reação que eu tive. E mesmo não aceitando nada do que é,e tenha feito em Silt para ela, ou como ele falava "por ela" eu entendi. A vida dele em Silt é uma merda, a família dele é uma droga, se é que pode ser chamada de família e nem mesmo com a morte do pai, ele não conseguia ter paz.

E após finalmente se render e ouvir os conselhos do Dr. Tomlinson ele decidiu voltar para Putnam e terminar seus estudos, para garantir um futuro melhor para Frankie e que dessa vez ela iria com ele.




i hate u, i love u é a música certíssima para o momento que ele voltou para lá. Caro ficou vibrante com a notícia dele ter voltado, ela o perdoou por tudo o que aconteceu em Silt e estava disposta a querer o seu alicerce de volta. Mas para West ele não a merecia, aliás ninguém o merecia. Se isolou completamente dos amigos. De Krishna, seu único e melhor amigo. Aquele com quem dividiu segredos, só um conhecia o outro verdadeiramente. Eles eram como unha e cutícula do campus, mesmo que West não acompanhasse Krishna em todas as festas. Como também da Bridget que apesar de ser amiga da Caro, passou a se tornar uma espécie de amiga também, assim como Quinn. Enfim, ele se afastou de todo mundo e criou um escudo de proteção dele e Franks contra o mundo. E mesmo assim Caroline nunca desistiu de se aproximar dele, mesmo que não tivessem nada. A amizade era suficiente, pelo menos por hora.

Foi um trabalho de muita dedicação para que eles fossem se aproximando, digamos que a Frankie tenha sido de boa ajuda. Ela passou por alguns problemas na escola e a única amiga dela na cidade era Caro e no entanto, era a única pessoa além de West com quem poderia dividir seus problemas. É complicado falar de uma menina de quase 11 com problemas para dividir, mas essa menina já viu de tudo com tão pouca idade, inclusive a morte do pai.

O retorno do casal foi basicamente como ficaram juntos pela primeira vez, só que dessa vez existia uma falta, uma urgência, uma necessidade. Eram muitas coisas envolvidas para que eles ficassem juntos novamente. Apesar dos pesares, das dificuldades, dos percalços, o amor deles resistiu bravamente. Não adiantou colocar a distância, se culpar, estava escrito em qualquer lugar desse universo que eles tinham que ficar juntos. Que eles tinham que passar por tudo juntos, inclusive o julgamento do caso da pornografia de vingança que estava marcado.

Por falar nisso é muito importante deixar ressaltado que aqui no Brasil isso é um crime, a luta da Caro foi muito maior porque lá nos Estados Unidos é permitido que namorados(as) postem fotos íntimas de seus parceiros ou ex na internet. E era justamente isso que ela queria mudar. Apesar do pai dela achar melhor esse caso terminar com ela no anonimato. Caro queria mais e um grupo de senadores também, o engajamento precisava de um rosto dentre milhares. Precisavam de uma pessoa que tivesse passado realmente por isso e que não se deixou abater e nem sentir que sua vida estava destruída.

O mundo conheceu a Caroline nua, a Caroline em sua intimidade, mas o mundo não conheceu a Caroline que corre atrás do que quer, da Caroline que ama sem limites, da Caroline que ressurgiu das cinzas quando todos achavam que ela estava quebrada, o mundo não conheceu a Caroline que faria tudo e qualquer coisa por aqueles que ela realmente ama. O mundo não conheceu a Caroline que tem sonhos e um deles é chegar a Casa Branca como presidente. O mundo conheceu um borrão de uma Caroline que em toda sua essência, nunca existiu.

O motivo pelo qual não preciso de vingança é que tenho amor. A vingança não nos dá nada. Não nos preenche nem nos acalma, não nos satisfaz nem nos modifica. 

Como vocês devem ter percebido eu AMEI esse livro de uma forma que se possível, guardarei eles em um potinho. O West foi um personagem que eu aprendi a respeitar, na verdade quando a gente conhece o West como ele realmente é, só tem admirações por ele, pelas suas lutas. Eu nunca vi um livro que contasse a história de um irmão que ama incondicionalmente, que sacrifica sua vida, que se comporta como pai de verdade. Eu sei que existe, mas como West faz com Frankie desde os seus 11 anos de idade, é uma coisa linda se ver.

Essa duologia me ensinou um pouco sobre tudo, se eu fosse uma pessoa fácil de me emocionar teria chorado horrores, porque cada capítulo é um tiro. E a gente precisa tomar fôlego para continuar, porque olha... Dois livros que fizeram muito jus aos seus nomes porque Profundo é profundo e Intenso é intenso mexxxxmo. (Com x para vocês sentirem a intensidade do negócio).

Eu sei que o post ficou enorme por conta dos dois livros, mas espero que vocês tenham gostado. Assim como eu amei ler, escrever e escolher essas músicas para vocês. E para concluir vou deixar uma última música para vocês se despedirem deles de uma forma linda, bem amorzinho e com gostinho de saudade.




Um beijo enorme e até a próxima.
















PhotobucketRSS/Feed - Receba automaticamente todos os artigos deste blog. Clique aqui para assinar nosso feed. O serviço é totalmente gratuito.

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para mim. Muito Obrigada pela visita, e te espero no próximo post!

Arquivo

Experimente!

Link-me

Creative Commons License
Menina da Bahia licenciada sob uma Licença Creative Commons

  © Menina da Bahia - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL