twitter
RSS

Mães Literárias

>> sábado, 30 de maio de 2015


Oi gente! Hoje estou trazendo um post bem especial! Não é resenha, nem coluna e na verdade seria apenas uma postagem no instagram do blog, mas me empolguei e resolvi fazer uma postagem aqui mesmo. Para fechar o mês de maio com chave de ouro, nada mais que justo que fechar com as donas do mês, as mães. Sei que a data foi há algumas semanas, mas se como eu você acredita que devemos amar e agradecer todos os dias pela nossa mãe, você irá gostar do que vou escrever aqui.

Pensando em honrar as mães não esquecendo o nosso amor aos livros, reuni aqui algumas mães, que na verdade são Super mães, que fazem tudo por seus filhos, os apoiam, os salvam... Mas também trouxe mães que não parecem ser mães, aquelas que lemos e ficamos com vontade de dar uns tapas. E ainda, trouxe as mães que não conhecemos, que já falecerem e são citadas nos livros por outros personagens, como seus filhos e amigos e parecem ser pessoas tão únicas que sentimos vontade de ter conhecido esse personagem como seus filhos.

Vamos então conhecer as mães que selecionei:

 SUPER MÃES

A mãe de Hazel Grace, a sra. Lancaster, de A culpa é das estrelas, é uma mulher muito forte. Não é fácil ver um ente querido, ainda mais um filho adolescente lutar contra um câncer, mas ela aguenta firme, abdica de sua vida para ser um apoio para sua filha que precisa de sua ajuda e compreensão. Além disso, não permite que Hazel se isole do mundo, pois sabe que sua filha tem o direito de viver. 

Na série Gelo e Fogo, que deu origem ao famoso seriado Game of Thrones está cheio de mulheres fortes, entre elas está Catelyn Stark. Ela é/era uma mãe lutadora, que além de proteger seus filhos e lidar com a distancia do seu marido, precisa entrar em uma disputa política com muita habilidade. Protetora e preocupada com a família é uma mulher forte que não aceita acompanhar em silêncio o perigoso jogo dos tronos, e para fazer justiça aos que atacaram seus filhos ela vai à luta, passando por temíveis provações, e com seu destino com um desfecho impactante;

A Jocelyn Fray da serie Instrumentos mortais e a Sally Jackson da serie Percy Jackson tem muito em comum, pois ambas abdicaram de suas vidas, da vida que tinham, para esconder e proteger seus filhos. A Sally além de muito gentil,para manter o segredo de Percy passou escondida nas sombras passando por maus bocados para proteger o semi-deus. 
Clary e Jocelyn tem uma relação muito próxima. Clary freqüentemente descreve a mãe como sendo bonita e que possui muito talento artístico.E a Jocelyn renega sua origem, seus dons, abandonando sua família e amigos para salvar a Clary e tentar dar a ela a chance de uma nova vida.

Quem aqui já leu Métrica? Emoção é o sinônimo desse livro e uma das principais causadoras disso é a mãe de Layken do livro Métrica. Ela é uma mãe sensata, rígida em alguns momentos, mas muito companheira e preocupada com seus filhos. Aquela mãe que faz as comidas preferidas e tenta ao máximo dar atenção, mesmo passando problemas que eles nem imaginam. 

Poucos ainda devem conhecer a Sorcha e ela tem uma breve participação em A bruxa da Noite, mas sua bravura e amor incondicional aos filhos me impressionou muito. E recomendo a leitura desse livro, a Nora volta aos seus bons tempos com essa nova série!

E finalizando esse grupo das super mães, uma mãe que não é biológica, mas foi uma verdadeira mãe no sentido mais extenso da palavra para o personagem Christian Grey de Cinquenta tons de cinza: A  Dra. Grace Trevelyan Grey. Ela o acolheu e o adotou, salvando-o de um terrível destino. O apóia incondicionalmente e o compreende como poucas mães sabem fazer. 


MAEZONAS

Eu classifiquei como mãezonas aquelas que são divertidas, companheiras dos filhos e dos amigos dos seus filhos. Aquelas que tem um estilo bem italiano de ser, onde suas crias sempre precisam se sua ajuda seja para qualquer coisa, inclusive arranjar o seu par perfeito.
Se ao ler o que eu escrevi você já pensou na Violet Bridgerton pensou certo! hahaha
A violet é presença constante nos livros da série e sempre gosto das cenas em que ela participa. Sua maior preocupação é casar bem seus filhos, a quem defende com unhas e dentes. No livro Um perfeito cavalheiro, ela foi de uma importância suprema para o desfecho da historia. Sou fã da Violet!

Seguindo esse mesmo estilo temos a sra Raina Chandler da trilogia irmãos Chandler que se inicia como livro O solteirão e a avó Nadine da trilogia A aposta.
A Reina é mãe de três homens, é uma viúva que criou os filhos sozinha. Eles são trabalhadores, corretos, com grande lealdade e compromisso com a família, eles são perfeitos. Bom, quase. Para o horror de Reina, nenhum deles quer se casar e ter filhos. E ela, que já está ficando idosa, sonha ter netos. Quando uma indigestão a leva ao hospital, surge a ideia de ser um pouquinho mais dramática e dizer aos filhos que tem um sério problema de coração e assim quem sabe, cosneguir o que deseja a tanto tempo. Gente o que uma mãe não faz para se tornar vó hein?!
Assim é a vó Nadine, muito esperta e perspicaz e sem dúvidas uma das grandes figuras do livro, também exagera sobre sua saúde para fazer com que seu neto se acerte com a mocinha Kacey. Essas duas me renderam boas gargalhadas.

E o que falar de Molly Weaslsey da série de Livros Harry Potter hein gente?! Seria imperdoável falar de mães, boas mães e não citar ela. Mãe de sete filhos, além do grande amor que nutre pela sua prole, Molly ainda abre o seu coração a todos que necessitam de um lar. Como Harry Potter, por exemplo. É Molly quem faz o papel que sua mãe faria, é quem o ajuda a comprar materiais escolares e uniformes, é ela quem manda presentes de Natal. Sempre me diverti nas cenas dos presentes de natal, aqueles casacos de tricô que o Rony detestava! haha
Sempre protegendo e mimando os filhos (no bom sentindo), a sra.Weasley, além de mãezona, é uma grande mulher: membro da Ordem da Fênix, lutou bravamente contra o Lord das Trevas e revelou um lado até então desconhecido.




MÃES NÃO TÃO LEGAIS

Todas essas mães aqui poderiam ser colocadas em um liquidificador para bater e não dariam 1/6 copo de suco! Hahaha
A Linda Elliot, mãe da Mac de Álbum de casamento e D. Tereza, mãe de Maiana de Redenção de um cafajeste são duas mulheres irritantes, interesseiras, egoístas... Não tem nenhum instinto maternal e só visam o seu bel prazer.
A mãe de Mac criou sua filha sem nenhum afeto, apenas pensando em suas relações amorosas e hoje tudo que quer da filha é dinheiro. D. Tereza é ridícula demais gente, só lendo o livro para saber de verdade, praticamente incentiva a filha a se prostituir em troca de conforto e luxo. E pensar que possam existir mães assim mundo a fora é triste...

E o que falar da mãe de Carrie White, de Carrie- A estranha?! Loucura define... Margareth White, é uma fanática religiosa sem tamanho, que acha que tudo é pecado, tudo mesmo, até espelho para ela é pecado por induzir à vaidade, e claro que considera Carrie o maior dos pecados que poderia cometer. Margareth negou sua gravidez até o último segundo, seu marido tinha acabado de falecer e ela acreditava que era um câncer como penitência por ter tido relações sexuais (foram 2 relações em todos os anos de casamento), e teve Carrie sozinha em sua casa. Desde de então, a vida da garota é só sofrimento. Como tudo era pecado para a mãe, qualquer coisinha que a pequena Carrie fazia era motivo para apanhar e ficar presa em um quartinho para rezar, sua mãe chegou a deixá-la mais de um dia presa nesse quarto, sem comida e sem poder ir ao banheiro.Por conta dessa mãe maluca, Carrie, na sua adolescência sofreu Bullying na escola.

E fechando a lista dessas mães nada exemplares, admito que não ela é uma mãe tão ruim assim, a Sra. Bennet, de Orgulho e preconceito. A Sra. Bennet é o tipo de mãe que além de orgulhosa, fofoqueira e dramática, acaba prejudicando a imagem angelical de sua filha Jane, e da astuta Elizabeth, ao dar mostras de sua personalidade. Só pensa em como ficará sua imagem perante a sociedade, caso não consiga bons partidos para suas filhas e seja conhecida como a mãe que não teve nenhuma filha casada. Nos tempos de hoje, que muita mulher opta por não casar, pelo menos não tão cedo, a Sra. Bennet iria ter muitos xiliques!

MÃES QUE SE FORAM

Sabe quando lemos um livro e o personagem principal não tem mais sua mãe presente, ela já faleceu, mas ela é tão citada no livro e bem citada, diga-se de passagem, que dá vontade de que o personagem ainda fosse vivo?! Assim são essas mães escolhidas aqui.
Diane Maddox, Lilian Potter, a mãe de Blaire e a mãe de Parker da série Quarteto de noivas, são mães desse time. Mães que foram mulheres notáveis, tinham amor incondicional por seus filhos e que são sempre bem lembradas por eles e todos que o cercam e tiveram a oportunidade de conhecê-las. Reconhecemos em seus filhos um pedaço de cada ensinamento, personalidade dessas mães que fazem falta.

Tem muitas mães nesse mundo literário que não entraram aqui nesse post, algumas que já ouvi falar bem ou mal, outras ainda não li como as dos livros Amigas para sempre, Extraordinário, O verão que mudou a minha vida. Mas que já estão na minha lista de leitura.

E então gostaram do post?! Foi uma delicia pesquisar e escrever sobre essas mães... Conhecem alguma mãe que deveria ter sido citada e não foi? Me falem que eu quero saber!


Bjos e até a próxima!
PhotobucketRSS/Feed - Receba automaticamente todos os artigos deste blog. Clique aqui para assinar nosso feed. O serviço é totalmente gratuito.

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para mim. Muito Obrigada pela visita, e te espero no próximo post!

Arquivo

Experimente!

Link-me

Creative Commons License
Menina da Bahia licenciada sob uma Licença Creative Commons

  © Menina da Bahia - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL