twitter
RSS

Resenha: Flash Forward - Robert J. Sawyer

>> quarta-feira, 12 de novembro de 2014


Os dias e as semanas passam com facilidade; a pessoa não nota que a vida não está seguindo adiante, não está progredindo, não está se tornando o que ela sempre sonhou que se tornaria. Pág. 225

O que faria se tivesse um vislumbre trágico do seu próprio futuro? Tentaria mudar as coisas, ou aceitaria que o futuro é imutável? Já imaginou poder saber como sua vida seria daqui duas décadas?

Flash Forward ( Galera Record, 384 paginas, 2014) é um livro que inspirou a série homônima, da ABC, que foi exibida em 2009 e depois cancelada. E o inicio livro que traz uma experiência científica realizada por Lloyd Simcoe e Theo Procopides, dois cientistas do que conduz ao inesperado: o mundo inteiro cai inconsciente por instantes ( exatamente 137 segundos e durante esse período as pessoas acabam tendo visões,.vinte anos no futuro. 

Quando a humanidade desperta, o caos impera por todo o lado! Muitos não suportaram o que viram (Um cara que sabe que irá morrer, um casal de namorados que sabem que sua relação irá acabar..) e achando como o futuro algo impossível de modificar, alguns optaram pelo suicídio, sem contar a quantidade de acidentes pela falta de consciência das pessoas no presente. Carros arruinados, queda de aviões, acidentes domésticos e apenas uma simples subida de escada foram fatais.

Mas esse é apenas o início, passado o choque das visões, cada indivíduo tenta desesperadamente evitar ou assegurar o seu próprio futuro vislumbrado… O livro é dividido em 3 partes, sendo duas no presente e uma no futuro, acompanhamos os personagens em busca de respostas pelo futuro que viram e totalmente diferente de suas expectativas. 

Sawyer constrói todo o livro como uma colcha de retalhos para a evolução dos personagens, mantendo a Física Quântica de fundo para a explicação teórica/real de sua narrativa. E aí reside uma problema, o livro termina sem foco, pois são muitos detalhes. O autor decidiu contar tudo o que acontece com todo mundo, ao invés de focar somente em uma história. 
Somos apresentados no livro a história de pelo menos dez personagens diferentes (alguns são histórias isoladas e outras são do começo ao final do livro). Achei que isso confundiu um pouco a narrativa, e algumas tramas com bastante potencial poderiam ter sido mais bem aproveitadas e não foram. Mesmo sendo interessante acompanhar o dilema de tantos personagens,e não ter o livro focado em um só, é confuso assimilar as particularidades de cada um e seguir em frente sem esquecê-las.

O autor criou algumas histórias com um bom potencial, mas foram poucos explorados devido a quantidade de histórias que acompanhamos. E tem outro fator: se física não é a sua praia, vai ter dificuldade com essa leitura, pois o livro é cheio de referências ao tema, claro que visando enriquecer mais seu conteúdo. E até entendo que por ser um livro de ficção científica, espera que tivesse algumas explicações e teorias, mas em Flash Forward o autor pecou na excessividade.

O que é latente no livro é a questão que por mais que pareça tentador dar uma espiada em nosso futuro, isso acarreta tantas consequências, todas elas tão imprevisíveis, que a gente se pergunta se valeria o risco. Recomendo a obra para fãs de ficção científica, que gostam de uma história instigante e embasa e porque não dizer, bem escrita.







PhotobucketRSS/Feed - Receba automaticamente todos os artigos deste blog. Clique aqui para assinar nosso feed. O serviço é totalmente gratuito.

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para mim. Muito Obrigada pela visita, e te espero no próximo post!

Arquivo

Experimente!

Link-me

Creative Commons License
Menina da Bahia licenciada sob uma Licença Creative Commons

  © Menina da Bahia - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL