twitter
RSS

Predestinados - Josephine Angelini

>> segunda-feira, 27 de agosto de 2012



Estava cansada de ficar com raiva o tempo todo.
Lutar e matar, ou lutar e morrer, ela realmente não se importava.
Desde que pudesse manter seu pai a salvo de toda essa tragédia grega sem sentido,
ela enfrentaria tudo o que poderia acontecer.
Pág. 61


Helen é uma típica adolescente, ou ao menos acha ser, nunca conheceu a mãe e sempre viveu com o pai numa pequena cidade litorânea. Ela tem alguns problemas, mas nada tão grave, até o dia em que vê Lucas na escola. Ela, uma pacificadora nata, foi dominada pela sede de ódio, avançou direto na jugular dele. Queria mordê-lo, matá-lo cruelmente, ver todo seu sangue esvair do corpo. Uma pena que foi dominada por ele e o máximo que conseguiu foi alguns arranhões. Já na enfermaria, ela se dá conta que não sabe o que aconteceu. Ela nunca o tinha visto antes. Que danado deu nela para agir como uma assassina fria e calculista?

Assim que começa toda a trama de Predestinados. E prepare-se, a autora irá jorrar informações! Helen é uma Descendente, ou seja, descende de deuses gregos, e possui uma Casa (que ela não sabe qual) - nome dado às linhagens diferentes -, quando Descendentes de Casas diferentes se encontram são movidos pelo ódio (herança dada pelas moiras, para que eles paguem a dívida com sangue). Helen também é o nome da mulher mais odiada dos gregos, Helena de Troia. Dar o nome a um Descendente de Helen/Helena é o mesmo que um católico chamar o filho de Judas. Nossa Helen mal descobriu o que é e já sabe que é amaldiçoada.

A cada capítulo ela descobre um novo dom e com esse dom ela conhece um pouco mais sobre a mitologia grega e de quem ela herdou o dom. O problema com Lucas continua, além disso toda vez que ela o vê, as moiras aparecem chorando lágrimas e o instinto assassino ressurge, mas num determinado momento, quando um salva a vida do outro, ela somem e com isso todo o ódio. A paixão vai começar e os grandes problemas também.

As Casas foram amaldiçoadas quando Helena traiu Troia. Para evitar nova traição, nenhuma casa poderia se misturar e procriar com outra, tendo como punição uma nova guerra, que o mundo atual jamais viu. A maldição, também, faz com que Casas rivais se matem. A Casa que restar, absoluta, irá reerguer Atlântida e todos os descendentes serão imortais.

Para ser imortal, a Casa de Tebas (de Lucas) precisa matar a única Descendente de outra casa restante, Helen. Será uma guerra entre vida e morte, e amor e esperança. Predestinados, de Josephine Angelini (Intrínseca, 320 páginas, R$ 29,90), é um show de mitologia e efeitos especiais. Alguns Descendentes voam, outros veem o futuro (oráculos), outros modificam o tempo, lançam relâmpagos, respiram debaixo d’água, viram sombras, podem vagar nos sonhos, irem ao lago da morte, poder de cura, não podem morrer com armas letais, podem se transformar em qualquer pessoa... alguns possuem quase todos os dons juntos e são imbatíveis!

Vou confessar, foi tanta informação que já esqueci o nome de metade dos deuses! O livro deveria ter bem mais páginas, mas precisamos considerar que a letra é pequena, que o deixou mais compacto. Adorei a interação LucasxHelen, mas senti falta do ódio que as Moiras proporcionavam; quando elas sumiram, Lucas virou um superstar para Helen, que até então tinha vontade de arrancar os próprios olhos para não vê-lo. Outro ponto negativo foi a passividade de Helen. Ela foi esmurrada até quebrar TODOS os ossos do rosto e não revidou nenhuma vez (ela é demente ou o que???)

Sobre os poderes, cada um foi cuidadosamente explicado para autora. Não ficou qualquer dúvida sobre a origem dos descendentes, porque eles possuem poderes, porque eles não se perdem, ou diluem, devido ao cruzamento com os humanos e assim por diante. E há também as profecias, através delas que eles moldam suas vidas e seus atos. Nada é feito deliberadamente, tudo é minimamente premeditado... exceto o bicinho do amor, que pica sem dó nem piedade e atrapalha todo o esquema. E é ele que deixa a história mais interessante e nessa hora, prepare-se para esperar qualquer coisa.

No geral, eu gostei da história e do fato da autora escrever um YA original, exceto pelas partes batidas e clichês: eles se conhecem na escola (oi? Crepúsculo, Sussurro,...), de o amor ser proibido, mas no caso porque eles pertencem a Casas diferentes, se ela fosse humana não haveria problemas. Uma coisa que me incomoda em livros YA é que os jovens praticamente salvam o mundo. Os adultos não têm papel de destaque, são subjugados pelos jovens, que sempre tomam a rédea da situação.

Como você puderam perceber várias coisas acontecem na narrativa e agora me perguntam onde está o final da história? Infelizmente não vou poder responder, porque o destino dos personagens ficou em aberto.

Série Despertar:
1. Predestinados
2. Dreamless

Photobucket
PhotobucketRSS/Feed - Receba automaticamente todos os artigos deste blog. Clique aqui para assinar nosso feed. O serviço é totalmente gratuito.

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para mim. Muito Obrigada pela visita, e te espero no próximo post!

Arquivo

Experimente!

Link-me

Creative Commons License
Menina da Bahia licenciada sob uma Licença Creative Commons

  © Menina da Bahia - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL