twitter
RSS

Cante para eu dormir - Angela Morrison

>> terça-feira, 6 de março de 2012



Resenha by Kitty Gabe:

ALERTA: Pessoas em crise de gripe/sinusite/rinite ou nariz entupido em geral, favor não ler esse livro, vai ficar meio difícil de respirar!

O plot do livro se resume na sinopse. Garota sofre bullying na escola, apelidada de Fera, e só tem como apoio seu amigo de infância, Scott. Seu outro refúgio é o coral de Garotas da Juventude Bem - Aventurada de Ann Arbor. Beth fica feliz em ficar no fundo e fazer parte dos contraltos. Mas quando a solista dos sopranos passa mal e Beth a substitui tão bem, sua vida muda pois isso pode realmente levar seu coral a ter uma chance nas Olímpiadas de Coros na Suiça.

Quando isso acontece, Bethie sofre [quase à força] um make over total pela ex-solista do grupo e sua mãe, pois ao ser o centro das atenções não poderia "assustar as pessoas". Lá ela conhece um garoto pálido, de cabelos e olhos escuros, Derek, do famoso coro da Amabile, de Londres, Canadá. Sua vida muda totalmente com essa paixão, tornando-a uma nova pessoa. Mas, ao voltarem, Derek fica cada vez mais distante e ela desconfia que ele esconde com um terrível segredo.

Eu tenho a mania de ler sempre as duas últimas páginas antes de ler o livro, então já sabia qual era o segredo do Derek. O que foi interessante para notar as nuances do comportamento dele no decorrer do livro. Mas aí depende de cada um, mas só digo uma coisa: se prepare para chorar, e muito!

Os personagens são muito bem construídos. Beth, Bethie, a Fera, foi por toda a sua vida rotulada como feia [até a memória que tem de seu pai que a abandonou foi essa], então, quando tem o make over é compreensível ela não enxergar a beleza que todos passam a ver, se achando um tanto como uma fraude. Mas sua voz traz a tona a beleza que tem em seu coração.

Scott, seu amigo de infância, um garoto loiro de olhos azuis, sempre esteve ao seu lado e Beth nunca percebeu que ele queria ser mais do que isso. Apesar de que, os "hormônios da Fera" estando soltos, ela sempre tem uma grande vontade de simplesmente "agarrar" ele. Rs!

Scott não sabe cantar, mas tenta. Uma vez perguntei por que ele participava do coro. [...]
Scott ficou meio vermelho.
- Para ouvir você cantar.
Essa provavelmente foi a frase mais amável que um garoto já me disse.
Pág. 14-15

E tem o Derek, com seus olhos profundos e voz pura de tocar o coração. Se apaixona por ela desde que ouviu sua voz e faz de tudo para conhecê-la.

Derek inclina a cabeça e fala baixinho, como se estivéssemos sozinhos.
- Nosso regente nos faz ouvir os números à noite, quando vamos para cama. É uma dessas esquisitices de hipnose. Às vezes eu desobedeço e ponho outra música para relaxar - seus olhos castanhos e profundos capturam os meus. - Você canta para eu dormir.
Pág. 107

Esse amor transforma os dois, dando a eles o que tanto precisam naquele momento. Mas fica meio evidente que é muito dependente. Como Cante para eu dormir, de Angela Morrison (Pandorga, 353 páginas, R$ 34,90), é pelo POV da Beth, os sumiços de Derek a deixam quase num estado de nervos. E Scott sempre tenta se aproximar nessas horas, flertando, mas também sendo um porto seguro para a protagonista.

- Era uma vez uma fera terrível que conheceu um lindo príncipe. O princípe viu o sofrimento da fera e deu-lhe um beijo mágico.
- Eu sou a fera, Beth.
- Shh - ponho os dedos sobre sua boca. - O beijo mágico mudou a Fera para sempre. Ela se tornou humana. Aprendeu a amar e amou o príncipe com todo o seu coração.
- E ele a amou também.
Prendo seu olhar no meu e acrescento:
- E eles viverão felizes para sempre.
Pág. 313

O amor é um potente catalisador nesse livro. Beth desabrocha, vira uma mulher. É ensinada que pode ser amada por alguém e isso a torna capaz de amar. Há todos os tipos de amor demonstrados, o maternal, platônico, de amizade, de amor, de paixão. Aprendi que é possível amar duas pessoas de maneiras completamente diferentes [mas sem usufruir ao mesmo tempo, viu Bella?!].

E o segredo de Derek é algo terrível, e aí que vemos como Beth é forte, nos fazendo nos apaixonar pela personagem. Na verdade, amei todos os personagens! Aprendi sobre um triste fato da vida, o FC, que sugiro que todos pesquisem. Ai... vou ali dar uma choradinha e volto!

Pelo fato da Beth e do Derek serem tão envolvidos com a música, há trecho delas em todo o livro. É a forma dela desabafar, música em forma de poesia. Queria até ler essas partes em inglês para ver se rima mais e ter a melodia que ela cantorola. A música final que ela canta está disponível até no Youtube, Beth´s Song. Eu acho que é onde explica o porquê das duas mãos. Ela repete sempre, "Here is my hand", traduzido como "Pegue a minha mão". Música de coral, linda! Sniff, sniff.

A autora se inspirou em Matt Quaife para criar o Derek, tem até vídeos dele cantando com Amabile Young Men's Ensemble. Sim, o coral existe de verdade, há fotos no final do livro, inclusive do Matt.

Super recomendo, mas com o pacote de lencinho do lado, sim?!

Na questão da capa, eu gosto mais da em inglês, pois mostra que são as mãos de um casal. A brasileira, para mim, ficou parecendo de uma criança com a mãe, ainda mais com esse título de música de ninar. Pela capa tive uma ideia totalmente diferente do livro.




Kitty Gabe




PhotobucketRSS/Feed - Receba automaticamente todos os artigos deste blog. Clique aqui para assinar nosso feed. O serviço é totalmente gratuito.

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante para mim. Muito Obrigada pela visita, e te espero no próximo post!

Arquivo

Experimente!

Link-me

Creative Commons License
Menina da Bahia licenciada sob uma Licença Creative Commons

  © Menina da Bahia - Blogger Template by EMPORIUM DIGITAL